Os fósseis foram encontrados numa gruta, de acesso extremamente difícil, perto de Joanesburgo, no local arqueológico conhecido como "Berço da Humanidade" e inscrito na lista do património mundial da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

"Apresento-vos uma nova espécie do género humano", declarou Lee Berger, investigador da universidade de Witwatersrand em Joanesburgo, numa conferência de imprensa em Maropeng, onde se situa o "Berço da Humanidade".

Em 2013 e no ano passado, cientistas exumaram mais de 1.550 ossos pertencentes a pelo menos 15 indivíduos, incluindo bebés, jovens adultos e pessoas mais idosas. Todos apresentam uma morfologia homogénea, mas ainda não foram datados.

A nova espécie foi batizada 'Homo naledi' e classificada no género 'Homo', ao qual pertence o Homem atual.

O Museu de História Natural de Londres considerou a "descoberta notável".

"Alguns aspetos do 'Homo naledi', como as mãos, pulsos e pés, são muito próximos do Homem moderno. Ao mesmo tempo, o pequeno cérebro e a forma da parte superior do corpo estão mais próximos de um grupo pré-humano denominado australopiteco", explicou o professor Chris Stringer do museu de Londres, autor de um artigo sobre o tema publicado na revista científica eLife.

Esta descoberta poderá fornecer mais informação sobre a transição, há cerca de dois milhões de anos, do australopiteco primitivo para o primata do género humano, o antepassado direto do Homem atual.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.