Segundo as autoridades de saúde, os novos casos foram detetados em 84 das 85 regiões da Rússia.

O Presidente russo, Vladimir Putin, anunciou na terça-feira que a Rússia se tornou o primeiro país do mundo a registar uma vacina contra o novo coronavírus, que classificou como eficaz e capaz de criar uma “imunidade estável”.

A vacina russa chama-se “Sputnik V”, vai começar a ser fabricada em setembro e já foi encomendada por 20 países.

As autoridades esperam começar a vacinar representantes de grupos de risco em finais de agosto ou princípio de setembro, e a vacina ficará disponível para os restantes cidadãos a partir de 01 de janeiro.

Cientistas no país e no estrangeiro questionaram a decisão de registar a vacina antes de os cientistas completarem a chamada Fase 3 do estudo e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recebeu com cautela a notícia do registo da vacina.

A Rússia ocupa atualmente o quarto lugar no mundo em número de contágios confirmados de COVID-19, depois dos EUA, do Brasil e da Índia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.