"Os oito casos novos hoje reportados são todos de transmissão local e de indivíduos de nacionalidade moçambicana. Os mesmos resultam da vigilância nas Unidades Sanitárias", lê-se numa nota do Ministério da Saúde distribuída hoje à comunicação social.

Os novos casos foram registados nas províncias de Cabo Delgado (04), Nampula (01) e cidade de Maputo (03).

"Dos oito casos novos, cinco [62,5%] são do sexo masculino e três [37,5%] do sexo feminino", refere o documento, que acrescenta que os doentes estão em isolamento domiciliar e decorre o processo de mapeamento dos seus contactos.

Segundo as autoridades moçambicanas, há seis pessoas com covid-19 a serem assistidas nos centros de isolamento e outras 532 são dadas como recuperadas.

Do total de casos, 1.434 são de transmissão local e 156 são importados.

A província de Nampula continua a registar o maior número de casos ativos, com 242 infeções, seguida de Cabo Delgado, com 228, todas do norte de Moçambique.

A cidade e província de Maputo seguem com 186 e 191 casos, respetivamente, enquanto as restantes sete províncias do país registam menos de 60 casos.

Desde o anúncio do primeiro caso, a 22 de março, Moçambique já testou, no total, 50. 853 pessoas suspeitas de terem contraído a COVID-19, das quais 23.500 foram colocadas em quarentena, das mais de 1,4 milhões rastreadas.

Um total de 3.019 pessoas continuam a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 627 mil mortos e infetou mais de 15,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções e de mortos (2.350 casos e 51 mortos), apesar de ter revisto em baixa os casos após vários dias sem atualizações, seguida de Cabo Verde (2.190 casos e 21 mortos), Guiné-Bissau (1.949 casos e 26 mortos), Moçambique (1.590 casos e 11 mortos), Angola (851 infetados e 33 mortos) e São Tomé e Príncipe (749 casos e 14 mortos).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.