Mais de 20.382.260 casos foram diagnosticados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, dos quais 12.347.300 foram considerados curados.

O número de casos diagnosticados só reflete, no entanto, uma fração do número real de infeções, já que alguns países testam apenas casos graves, outros fazem os testes para rastreio e muitos países mais pobres têm uma capacidade limitada de fazer testes.

Nas últimas 24 horas foram registados 6.605 mortos e 259.064 infetados em todo o mundo. Os países que registaram mais novas mortes foram o Brasil (1.274), os Estados Unidos (1.110) e o México (926).

Os Estados Unidos são o país mais afetado tanto em número de mortos como de casos, com 164.545 mortes em 5.141.879 infetados, segundo os dados da Universidade Jonhs Hopkins. Pelo menos 1.714.960 pessoas foram consideradas curadas.

Após os Estados Unidos, os países mais atingidos são o Brasil, com 103.026 mortos em 3.109.630 casos, o México, com 53.929 óbitos (492.522 casos), o Reino Unido, com 46.526 mortos (312.789 casos), e a Índia, com 46.091 óbitos para 2.329.638 casos de infeção pelo novo coronavírus.

Entre os países mais afetados, a Bélgica é o que lamenta mais mortos em relação à sua população, com 85 mortes por 100.000 habitantes, seguida do Reino Unido (69), do Peru (65), da Espanha (61) e da Itália (58).

A China (sem os territórios de Hong Kong e Macau) regista oficialmente um total de 84.737 casos (25 nas últimas 24 horas), entre os quais 4.634 mortos e 79.342 recuperados.

A América Latina e as Caraíbas totalizavam hoje às 12:00 de hoje 225.596 mortos em 5.720.309 casos, a Europa 214.083 mortos (3.409.484 casos) e os Estados Unidos e o Canadá 173.571 mortes (5.262.140 infetados).

A Ásia registava 74.770 mortos (3.628.276 casos), o Médio Oriente 30.879 óbitos (1.271.779 infetados), a África 23.915 mortos (1.066.129 casos) e a Oceania 385 óbitos para 24.149 casos de infeção.

O balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da OMS.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.