Num comunicado, o ministério da Saúde avançou que os novos casos foram detetados na sequência de investigação epidemiológica dos casos anteriormente confirmados na capital do país.

“Nesse processo foram identificados mais 14 contactos, dos quais foram feitos análises laboratoriais. Esses resultados identificaram mais cinco casos de infeção por SARS-CoV-2”, informaram as autoridades de saúde.

“Confirma-se assim a transmissão comunitária no concelho, pelo que reforçamos o apelo para que as pessoas fiquem em casa e tomem devidos cuidados para evitar a propagação da COVID-19”, terminou a nota governamental.

Com estes novos cinco casos, Cabo Verde passar a registar um total de 73, distribuídos pelas ilhas da Boa Vista (52), Santiago (20) e São Vicente (01).

Um dos casos da Praia (Santiago) já foi considerado como recuperado da doença e o primeiro caso do país, confirmado em 19 de março, na ilha da Boa Vista, terminou na morte de um turista inglês, de 62 anos.

Além disso, outros dois turistas estrangeiros que estavam na Boa Vista, com COVID-19 diagnosticado, regressaram ainda em março aos países de origem (Inglaterra e Países Baixos), pelo que permanecem ativos no país 69 casos, todos em situação considerada estável.

Desde sábado que está em vigor um segundo período de estado de emergência, mantendo-se suspensas as ligações interilhas e a obrigação geral de confinamento.

A declaração do atual estado de emergência prevê para as ilhas da Boa Vista, Santiago e São Vicente, todas com casos de COVID-19, que permaneça em vigor até às 24:00 de 2 de maio. Nas restantes seis ilhas habitadas, sem casos diagnosticados de COVID-19, a prorrogação do estado de emergência é mais curto, até às 24:00 de 26 de abril.

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 176 mil mortos e infetou mais de 2,5 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.