A Espanha registou 637 mortes por coronavírus em 24 horas. É o menor número de óbitos num único dia desde 24 de março. O total de fatalidades neste país devido à pandemia de SARS-CoV-2 é de agora 13.055, revela o relatório do Ministério da Saúde de Espanha. No domingo, o país tinha contabilizado 674 óbitos devido à COVID-19.

Segundo informações oficiais divulgadas hoje, já se registaram no país 135.032 casos de infeção, sendo que quase 60.000 pessoas permanecem hospitalizadas e mais de 40.000 recuperaram.

Madrid continua a ser a comunidade autónoma com o maior número de mortes, com 5.136, seguida pela Catalunha, que totaliza 2.760. Em contrapartida, a Catalunha regista um número notoriamente maior de pacientes que necessitaram de cuidados intensivos, 2.276, enquanto Madrid teve 1.510 pacientes nesse tipo de unidades.

Pelo menos, 6.931 pacientes estão internados em unidades de cuidados intensivos. Segundo dados oficiais, 42,9% dos mortos têm mais de 80 anos.

A pandemia do novo coronavírus já matou 68.125 pessoas em todo o mundo e infetou mais de 1,2 milhões desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP através de fontes oficiais dos vários países. De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, mais de 1.244.740 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 191 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro passado, na China.

A Itália, que registou sua primeira morte ligada ao coronavírus no final de fevereiro, tem agora 15.877 mortes, 128.948 casos e 21.815 pessoas curadas.

Depois da Itália, os países mais afetados são a Espanha, os Estados Unidos, com 9.180 mortes (324.052 casos), a França, com 8.078 mortes (92.839 casos) e o Reino Unido, com 4.934 mortes (47.806 casos).

A China (sem os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, contabilizou um total de 81.708 casos, incluindo 3.331 mortes e 77.078 curas.

Com vários casos registados oficialmente, os Estados Unidos são atualmente o país mais afetado no mundo.

Desde sábado, às 19:00 GMT, Etiópia e Haiti anunciaram as primeiras mortes ligadas ao vírus e o Sudão do Sul anunciou o diagnóstico de um primeiro caso.

A Europa totaliza 49.137 mortes, para 664.514 casos, os Estados Unidos e Canadá 9.477 mortes (339.442 casos), a Ásia 4.192 mortes (118.570 casos), o Médio Oriente 3.794 mortes (76.082 casos), a América Latina e Caribe 1.053 mortes (30.539 casos), África 431 mortes (8.921 casos) e a Oceânia 41 mortes (6.675 casos).

Em Portugal, segundo o balanço feito ontem pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 295 mortes, mais 29 do que na véspera (+11%), e 11.278 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 754 em relação a sexta-feira (+7,2%).

Dos infetados, 1.084 estão internados, 267 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 75 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, depois do prolongamento aprovado na quinta-feira na Assembleia da República.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 de março o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Como é que o sabão destrói o vírus? Dúvidas sobre a lavagem das mãos

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.