As informações foram avançadas hoje em conferência de imprensa, com Artur Correia a indicar que o óbito aconteceu no Hospital Agostinho Neto, na cidade da Praia, e trata-se de um homem de 53 anos que tinha alguns problemas psiquiátricos.

Segundo o Diretor Nacional de Saúde, o paciente chegou ao maior hospital ao final da tarde de quinta-feira já numa “fase complicada”, o que veio a impedir a sua recuperação, acabando por falecer na madrugada de hoje.

Questionado sobre os motivos que levaram o paciente a chegar tarde ao hospital, Artur Correia disse que há vários factores a ter em causa, nomeadamente um problema de estigmatização e medo de discriminação, mas também por falta de conhecimento ou descaso.

Ainda na conferência, o responsável informou que o país registou mais 30 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, a maioria na ilha de Santiago (27), distribuídos pelos concelhos da Praia (7), Ribeira Grande (12), Santa Cruz, Santa Catarina, São Miguel e São Salvador do Mundo, todos com dois casos cada.

Os outros três casos foram diagnosticados no concelho da Ribeira Brava, na ilha de São Nicolau.

Ainda segundo aquele profissional de saúde, o arquipélago registou hoje mais 55 doentes recuperados, aumentando o total de pessoas com alta para 1.200, de um total de 2.220 casos acumulados desde 19 de março.

Há dois dias que a ilha do Sal, o segundo foco da doença, não anuncia qualquer caso de Covid-19, com o diretor nacional de Saúde a esclarecer que o laboratório tem enfrentado um problema, que vai ser resolvido no sábado e que os resultados dos testes vão ser anunciados no mesmo dia.

Ainda assim, o responsável de Saúde salientou que a vigilância epidemiológica tem continuado nas comunidades da ilha, têm sido feitos testes, as pessoas suspeitas têm sido postas em isolamento e em quarentena domiciliar.

Em quatro meses, Cabo Verde ultrapassou a barreira dos dois mil casos de Covid-19, mas o Diretor Nacional de Saúde frisou que, tendo em conta dos dados das últimas semanas, o país está numa “tendência estacionária” e numa “fase de estagnação”.

Artur Correia sublinhou ainda o facto de as autoridades sanitárias estarem a partilhar a responsabilidade com as pessoas infetadas, através do isolamento domiciliar, onde estão neste momento 281 doentes.

“É um voto de confiança que estamos a dar à população de Cabo Verde que está infetada com a Covid, no sentido de se protegeram em casa, de protegerem os familiares em casa, de se confinarem em casa durante esse período de isolamento. Isto também é um ponto positivo no aumento da nossa resiliência na luta contra a Covid-19”, sustentou.

As pessoas que requerem o isolamento domiciliar assinam um termo de compromisso, para respeitarem as normas e há contactos regulares com as autoridades de saúde, e, caso essa regra não seja cumprida, será quebrado o acordo e a pessoa passa a isolamento institucional.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 627 mil mortos e infetou mais de 15,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.