Na Índia, estar menstruada pode ser motivo de vergonha, já que muitas pessoas acreditam que as mulheres são impuras quando têm o período e que não devem, por exemplo, entrar em templos nem cozinhar.

Há ainda quem diga que as mulheres menstruadas não podem tocar em certos alimentos - porque apodrecem - e que algumas ervas e plantas murcham quando uma mulher menstruada passa por perto.

Nesta altura normal da vida das mulheres, as famílias tratam-nas como seres intocáveis. "Não posso ir à cozinha, não posso entrar no templo, não posso sentar-me ao lado das outras pessoas", relatava à BBC uma jovem mãe, oriunda de um vilarejo distante em Uttarakhand, um estado montanhoso no norte da Índia.

As fotos de várias crianças que saíram às ruas de Nova Deli em protesto

O Governo de Nova Deli lançou uma campanha global de alerta para os riscos da discriminação com base no sexualidade. Centenas de crianças saíram às ruas da capital da Índia numa iniciativa promovida em conjunto com organizações não-governamentais que pretendem quebrar o tabu à volta da menstruação e garantir o acesso a cuidados de higiene nas escolas do país.

Em julho de 2017, algumas empresas começaram a dar folgas às empregadas nos dias em que menstruavam. Na altura, a ginecologista e ativista Anita Nayar descreveu a medida como "retrógrada". "Uma política de um dia de licença automático por mês alimenta o síndrome da vergonha e deixa o assunto escondido", comentou Anita Nayar.

Em localidades tradicionalistas do Nepal, as mulheres são obrigadas a adotar o Chaupadi, ou seja, têm de abandonar os locais de residência durante a menstruação e evitar o contacto com outras pessoas.

Tradições proibidas e mortais

No início deste ano, uma mulher de 35 anos e dois filhos morreram isolados numa aldeia remota daquele país devido a uma tradição religiosa hindu que obriga mulheres a exilarem-se durante a menstruação. Os três foram encontrados mortos por inalação de fumo.

De acordo com o jornal Kathmandu Post, a cabana, construída para as mulheres da família praticarem o chamado "Chaupadi", não tinha janelas nem ventilação. Em 2005, o Supremo Tribunal do país proibiu a prática que é hoje punível com pena de prisão. Ainda assim, nos últimos dois anos, pelo menos cinco mulheres morreram no Nepal em situações semelhantes. O último caso aconteceu no fim de semana.

De acordo com uma prática antiga conhecida como Chaupadi, as mulheres com o período são consideradas impuras. Podem ser forçadas a dormir em cabanas ou em barracões de gado, estando proibidas de tocar em certos alimentos, ícones religiosos e em homens. Além do frio, as mulheres estão expostas a ataques criminosos que acontecem com regularidade. Muitas aparecem mortas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.