O maitake (grifolia frondosa) é um cogumelo comestível muito popular no Japão. É também um dos fungos mais utilizados em naturopatia. Em Portugal, apesar de não ser dos mais comuns, pode encontrá-lo em centros dietéticos. Os seus benefícios para a saúde não são conhecidos de hoje. Num estudo de 1997, realizado em vários hospitais e centros oncológicos por especialistas credenciados, foram usados para uma experiência.

Os voluntários japoneses, 165 pacientes com vários tipos de cancro, com 25 a 65 anos de idade, foram submetidos a um tratamento oncológico que combinava o uso de cogumelos maitake com a terapia convencional da época. Na altura, os resultados foram surprrendentes. Os efeitos secundários da quimioterapia foram, segundo os autores do estudo, reduzidos em 90% dos pacientes e a dor em cerca de 83%.

Na hepatite viral, onde também viria a ser utilizado uma década depois, em 2007, uma outra investigação demonstrou que a associação do maitake com um fármaco anti-viral, o interferão alfa-2b, aumenta em cerca de nove vezes a eficácia dos tratamentos, como revelou a edição desse ano do estudo "Antiviral research", apresentados depois numa conferência internacional que reuniu especialistas de vários países.

As (muitas) propriedades terapêuticas deste cogumelo

O maitake é um estimulante do sistema imunitário de largo espetro. Atua em situações mais simples à partida, como é o caso de gripes e outras infeções, bacterianas e virais, mas também em oncologia, ajudando a inibir o desenvolvimento de tumores e metástases. No Japão, é um dos tratamentos mais utilizados para o cancro do estômago, sendo também usado nas neoplasias do cólon, da mama, pulmões e do fígado.

Também é usada nas neoplasias da próstata e do cérebro. Para além disso, aumenta os efeitos da quimioterapia ao mesmo tempo que reduz os seus efeitos adversos, incluindo a queda de cabelo, as dores e as náuseas.

Este cogumelo atua ainda como um desintoxicante do fígado, sendo útil no tratamento de hepatites, principalmente virais. O maitake pode ainda ser usado como coadjuvante de outros tratamentos naturopáticos no controle da diabetes, na pressão arterial e em casos de infeção por HIV.

Em termos de princípios ativos, este cogumelo contém um grupo de polissacáridos (fracção-MD) que atua como imuno-estimulante (aumentando as células T e os macrófagos) e anti-tumoral, em sinergia com os outros constituintes do cogumelo. É, ainda, uma boa fonte de proteínas, vitaminas e minerais. Em termos de administração, os especialistas aconselham que ingira entre 1 a 10 gramas por por dia.

A receita saudável que pode facilmente preparar em casa

A quantidade varia consoante a gravidade da doença que se pretende combater. Esta é, em média, a recomendação das marcas que o comercializam, uma vez que a sua concentração pode variar. No dia a dia, pode fazer uma refeição rápida, muito fácil de preparar, para aumentar as defesas em qualquer altura do ano, como sugerem muitos especialistas internacionais. Antes de o confecionar, coloque o maitake de molho em água.

Demolhe os cogumelos durante 20 a 30 minutos. Depois, retire-os da água e escorra-os. Corte-os, de seguida, em pedaços com cerca de um centímetro. Leve uma frigideira ou um tacho com azeite ao lume durante três a quatro minutos.  A meio, junte um pouco de molho de soja e alho. De seguida, apague o lume, retifique o tempero, aguarde cerca de dois minutos e sirva-os com uma salada ou como substituto da carne.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.