O desenvolvimento de um comprimido para consumo humano capaz de reduzir os efeitos de uma noite regada com álcool pode estar mais próximo do que se pensa.

Testado em ratos, este fármaco conseguiu reduzir a circulação de álcool no sangue e do acetaldeído, o químico responsável pelas dores de cabeça e vómitos característicos da ressaca.

Yunfeng Lu, investigador e engenheiro químico da Universidade da Califórnia (UCLA), e Cheng Ji, especialista em doenças do fígado da Universidade do Sul da Califórnia (USC), criaram um comprimido que diminuiu em 45% o nível de alcoolismo no sangue em apenas quatro horas, explica a UCLA em comunicado.

O fármaco consiste numa cápsula composta por três enzimas naturais, que são normalmente encontradas nas células do fígado e que ajudam o corpo a processar o álcool.

A equipa está agora na fase de testes, na tentativa de garantir a segurança e eficácia destas substâncias combinadas e, ao mesmo tempo, tentar reduzir os efeitos secundários da toma da mesma.

"Entre 8 e 10% das emergências médicas nos Estados Unidos são causadas por envenenamento agudo por álcool", comenta Yunfeng Lu no estudo.

"O álcool é o principal fator de risco para a morte prematura em pessoas entre os 15 e 49 anos", acrescenta.