"Que esta inteligência coletiva que prepara tudo isto seja visível". Foi assim que o estilista Alessandro Michele apresentou o desfile de inauguração da Semana da Moda de Milão.

O estilista das estrelas andava pelos bastidores mostrados pela primeira vez, quando normalmente são reservados a poucas pessoas.

"Não é um espetáculo, é a realidade do nosso trabalho. Parece um 'Parque de Diversões de Moda', mas revela o ritual sagrado a que nos prestamos coletivamente todas as temporadas", afirma.

Do outro lado da cortina, o cenário circular tinha o Bolero de Ravel como banda sonora para um público atento, e em outros bastidores ainda mais secretos, as modelos vestiam-se ajudadas pela equipa da Gucci, estilistas assistentes, modelistas e artesãos.

Davide, Maurizio, Giulia, Giacomo e os outros usavam uniformes com a expressão "Criador de Sonhos" bordada.

As modelos já prontas posicionavam-se em frente ao público, imóveis na plataforma que girava como um carrossel.

A coleção é rica e reluzente, com pequenos conjuntos retro de inspiração marítima e vestidos com folhos de tule ao estilo cabaré. Surgiram chapéus grandes aristocratas, cores vivas e os anos 1970 sempre presentes, com um conjunto de calças flair que se transformou na imagem de marca da Gucci.

"Alessandro sempre motivou a sua equipa, sempre teve uma obsessão pelo trabalho dos outros, pela comunidade, pela extravagância e ao mesmo tempo uma imensa ternura", disse à AFP a atriz francesa Lou Doillon.

"Nunca é uma pessoa solitária que faz algo. Há tanta paixão pelas pessoas ao seu redor", disse a atriz nos bastidores do desfile, onde a emoção da equipa transparecia.

"Olá, tudo bem?"

Essa ternura também foi sentida pelos convidados que receberam há alguns dias uma mensagem de voz do próprio estilista pela aplicação Whatsapp.

"Olá, tudo bem? Pensei que, se não estiver muito ocupada na próxima quarta-feira, poderia vir ao meu desfile na plataforma Gucci em Milão. Isso vai deixar-me muito feliz. Mantenha-me informado. Beijinhos".

Essa era, para a Gucci, a ocasião para cumprir a sua promessa: não usar convites de papel esta temporada.

Essa é uma decisão lógica para a marca que disse levar muito a sério a luta contra o aquecimento climático e a proteção do planeta, reivindicando a sua neutralidade de carbono em setembro do ano passado.

O dia seguiu com Alberta Ferretti e a sua moda sensual, forte e sofisticada.

As primeiras filas foram ocupadas pelas irmãs Ferragni, Valentina e Chiara, duas estrelas das redes sociais, que sempre foram fãs da marca.

Os looks flertavam com a virilidade em casacos de aviador e peças de alfaiataria suavizadas por folhos. Botas e cintos marcaram as silhuetas dessas 'amazonas da cidade', como a estilista gosta de definir.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.