Esta jovem de 31 anos, saiu de Cabo Verde há seis anos para viver com o seu esposo no Senegal e lá, segundo contou em entrevista à Inforpress, teve oportunidade de aperfeiçoar o seu talento, depois de ter frequentado o curso de Estilismo e Modelismo no Instituto de Moda do Senegal.

Entretanto, contou, a paixão surgiu desde pequena porque a sua mãe era costureira, o que lhe permitiu estar sempre em contacto com tecidos e brincar de fazer cortes até que aos poucos começou a customizar as suas próprias roupas.

No Senegal, esta jovem, natural de Santa Cruz, começou a dar os primeiros passos fazendo roupas sob encomenda e sob medidas para alguns clientes, mas depois começou a produzir para vender através da Internet.

A sua projeção iniciou-se em 2018 quando teve a oportunidade de apresentar a sua colecção durante o desfile de moda “Luís Fashion Week” em Dakar.

“Foi um convite da parte da minha professora do Instituto. Como eu estava no último ano de formação ela incentivou-me a participar e naquela noite apresentei roupas de gala para dar a conhecer a minha marca a Diva's Couture”, disse, sublinhado que gosta de trabalhar com todos os tipos de tecidos, desde panos africanos e tecidos leves como seda e crepe.

A sua marca, frisou, reflecte uma “mulher diva”, batalhadora e independente e é esse o nome da coleção que quer lançar no próximo ano em Cabo Verde, a “Independent Woman”.

Apesar do seu estilo mais moderno, Yara Mendes prepara-se para conquistar o mercado no Senegal onde vai abrir “brevemente” uma loja.

“Ainda não tenho muitas clientes senegalesas porque aqui usam mais as roupas tradicionais, mas há mulheres que gostam de seguir moda e que querem estar sempre elegantes e são essas pessoas que eu quero atingir oferecendo roupas elegantes ‘made in Senegal’”, revelou.

O continente África, para esta designer de moda, tem muitas potencialidades e em todos os domínios, mas ainda é preciso valorizar mais o trabalho dos estilistas africanos e incentivar mais o consumo local.

“Com a minha marca quero promover o consumo local, o que significa valorizar mais os trabalhos dos estilistas e profissionais de costura deste continente. Promover tudo que é feito em África desde roupas, bolsas, sapatos, acessórios, ou seja, tudo ‘made in África’, com a mesma qualidade dos produtos que vêm de fora”, enfatizou.

Falando da sua intenção de apresentar a sua coleção em Cabo Verde, Yara Mendes disse que desde o ano passado está a fazer contactos para dar a conhecer aos cabo-verdianos a sua marca, mas que ainda sem sucesso.

Uma das dificuldades, disse, tem sido encontrar parceiro no país para que juntos possam dar este passo.

“Organizar um desfile tem muitas despesas e eu sozinha não consigo até porque estou na fase de fazer investimentos e ainda a minha marca é nova e não é muito conhecida”, salientou.

Yara Patrícia Teixeira Mendes espera que com o apoio de amigos, clientes e de parceiros consiga um dia realizar o seu sonho que é promover tudo que é feito no continente africano e trazer a sua coleção para a terra que a viu nascer e crescer.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.