A 'doce revolucionária'

Para a sua coleção outono/inverno 2020/21, Victoria Beckham queria homenagear a tradição, ao mesmo tempo em que desafiava as convenções. "Ser subversiva, mas, também, sofisticada", explica Victoria nas suas notas sobre a coleção. "A este jogo é o que chamo da minha doce revolução."

Vestidos pretos usados com botas de plataforma que as suas antigas companheiras do grupo Spice Girls teriam adorado, saias quadriculadas acompanhadas de sweaters amarelas e vestidos com mangas recortadas: para a sua coleção, a estilista pensou na "tensão entre o refinamento e a rebelião".

As modelos desfilaram sobre o piso espelhado da Banquet House, no coração de Londres. Victoria surgiu furtivamente no final, vestindo uma blusa de seda branca e umas calças pretas de cintura alta.

Após anos em Nova Iorque, a ex-Spice Girl regressou à sua terra natal em 2018 e comemorou o seu 10º aniversário com um desfile organizado pela primeira vez na capital britânica.

Feliz aniversário, Margaret!

A britânica Margaret Howell comemora este ano o 50º aniversário da sua marca, comercializada em boa parte do mundo e com cerca de 100 postos de venda apenas no Japão.

Começou a criar acessórios feitos à mão logo após formar-se em Belas-Artes pela Goldsmiths College da Universidade de Londres, em 1969. "Comecei a desenhar roupa para homem e, depois, descobri que as mulheres queriam", conta a estilista no seu site.

Interessada no desenho de produtos autênticos e duráveis, Margaret manteve-se fiel a materiais que são um símbolo britânico, como o tweed de Harris e a lã escocesa. Apresentou a sua coleção no prédio que abriga o Rambert Dance Company.

As mulheres exibiram calças às riscas e de cintura alta e saias plissadas em tons de beringela, preto e verde. Os homens apresentaram calças largas dobradas no tornozelo, usadas com botas altas e casacos com capuz, um estilo confortável tanto no campo como na cidade.

Roksanda, a rainha das cores

Presente na Semana da Moda de Londres desde 2005, a sérvia Roksanda Ilincic seduz as famosas, desde Kate Middleton até Melania Trump, passando pela atriz Cate Blanchett, que compareceu ao desfile deste domingo, realizado num pátio majestoso do Foreing Office.

Para ressaltar a luz, Roksanda introduziu o preto intenso em algumas das suas criações, inspiradas no pintor expressionista americano Lee Krasner, cujo trabalho foi marcado pela morte do seu marido, o pintor Jackson Pollock, num acidente de carro.

"Desfrutei desta viagem muito comovente: comecei com a cor, entrei no luto e redescobri a cor", explicou a estilista.

Os tecidos sobrepõem-se e os materiais misturam-se num vestido que mescla uma imitação de couro grená com jersey de lã japonesa ou um casaco feito à mão onde a textura surge em forma de tranças e laços coloridos gigantes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.