Tem vários nomes. Sérum é o mais conhecido mas este produto de base aquosa é também denominado concentrado ou elixir, dada a elevada concentração de substâncias ativas. Com um maior poder de penetração, em relação aos cremes de rosto mais tradicionais, não substitui a ação destes. Muito pelo contrário, maximiza a sua eficácia.

Aplique-o sobre a pele limpa do rosto, de manhã e à noite, antes de qualquer tratamento. A sua textura fluida e suave deixa a pele confortável, sem colar. Apresenta-se geralmente em embalagens com uma capacidade de 30 ml, inferior ao creme de dia (50 ml), uma vez que bastam apenas duas gotas para tratar todo o rosto.

Este produto, que desde a sua criação tem conhecido uma série de inovações, pode incluir um sistema doseador ou conta-gotas para preservar a integridade da fórmula. Quanto aos resultados, logo após a primeira aplicação, a pele ganha um aspeto mais saudável e luminoso e torna-se mais suave.

Com o uso continuado, os efeitos são maximizados, nomeadamente ao nível das rídulas e rugas. A maioria das fórmulas destina-se a preservar ou a recuperar a juventude da pele, mas também existem alguns séruns dedicados exclusivamente à hidratação cutânea. Uma situação que acaba por baralhar alguns consumidores.

«Muitas pessoas ainda não percebem a diferença entre um sérum e um creme hidratante», sublinha Mike Bell, especialista de uma marca de beleza internacional. «O sérum tem de ser aplicado primeiro. Deve ser o primeiro produto a entrar em contacto com a epiderme para potenciar a sua ação», recomenda o especialista.