No passado dia 25 de março, o palácio de Buckingham comunicou que o príncipe Carlos se encontrava infetado com o novo coronavírus. Diagnóstico que o levou, de imediato, a isolar-se em Balmoral, na Escócia, propriedade onde se encontra também a mulher, Camilla.

Passados sete dias, um novo comunicado dava conta que o filho de Isabel II, de 71 anos, terminara o seu período de auto-isolamento. As boas notícias não deixaram de impressionar, uma vez que Carlos se integra no grupo de risco.

A sua rápida recuperação gerou curiosidade e Anna Hemming, antiga médica da realeza, comentou o tema em entrevista à Hello.

Segundo Hemming, a boa forma física que o príncipe preserva, devido ao histórico de rotinas saudáveis e de exercício físico, pode ter sido o segredo de rapidamente ter regressado ao ativo.

"Está bem documentado que aqueles que estão em forma e são saudáveis, que fazem exercício físico e mantêm uma dieta saudável, recuperam mais rápido. Este não é o caso para todos, já que há muitas pessoas jovens, em forma e saudáveis a lutar pela vida nos hospitais. Felizmente, o príncipe Carlos recuperou bem e está de volta à sua secretária", afirmou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.