Madonna é capa da última edição da revista “Rolling Stone”. Na entrevista, a cantora falou do lançamento do seu novo álbum “Rebel Heart” (Coração Rebelde) a 6 de Março e da relação com a cantora Lady Gaga. Mas foi o tema do envelhecimento e o preconceito de que diz sofrer pela sua idade que marcou a entrevista, que está a ser falada por todo o mundo.

A cantora pop, actualmente com 56 anos, comparou a discriminação pela idade ao racismo ou homofobia dizendo: “Este é o tema onde ainda se pode discriminar completamente alguém. Por causa da idade. Mas só das mulheres. Homens, não. Por isso ainda vivemos numa sociedade muito sexista.”

E a cantora continua: “Ninguém se atreveria a fazer uma observação negativa sobre alguém ser preto ou um comentário no Instagram sobre alguém que é homossexual. Mas sobre a minha idade toda a gente pode fazer comentários antipáticos. E eu sempre me pergunto porque é que isto é aceite. Qual é a diferença entre isto e racismo ou qualquer outro tipo de discriminação? As pessoas estão a julgar-me pela minha idade. Não compreendo. Estou a tentar perceber.”

A eterna “Material Girl” diz querer dar voz às mulheres com mais de 50 anos e pretender continuar a abraçar a sua sexualidade e quebrar as regras. “Geralmente quando as mulheres atingem uma certa idade aceitam que não podem comportar-se de determinada forma”, disse Madonna em entrevista. “Mas eu não sigo as regras. Nunca segui e não vou começar agora.”

Quando questionada sobre o seu look arrojado na cerimónia dos Grammys, que deixava antever o rabo, a cantora responde: “Este é o rabo de uma mulher de 56 anos! Se tenho de ser eu a abrir a porta às mulheres para estas abraçarem a ideia de que podem ser sensuais e bonitas e ser tão relevantes aos 50 ou 60 anos, como eram aos 20, então que seja!”.

2 de Março de 2015

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.