Michael Jackson continua a ser notícia. A luva branca com brilhantes que o cantor, compositor e bailarino norte-americano, falecido em 2009, usou inúmeras vezes em palco foi adquirida por um licitador anónimo num leilão realizado no Texas, nos EUA. Para a conseguir, o novo dono, que também ficou com o documento que comprova a doação daquele acessório à UNICEF em 1998, teve de desembolsar 104.000 dólares, pouco mais de 95.500 euros.

Entretanto, os herdeiros do cantor pegaram em "Heal the world", single que o cantor lançou em 1992 e fizeram um novo vídeo que é também uma homenagem à luta contra a pandemia de COVID-19 que tem vindo a assolar o mundo. Em apenas cinco dias, a nova versão, que mostra imagens de ruas vazias, profissionais de saúde a enfrentar o surto e doentes infetados com o novo coronavírus, já foi vista por mais de 900.200 pessoas. Os fãs aplaudem a decisão.

Na sua edição de hoje, o jornal britânico Express recupera uma entrevista dada por Scott Shaffer, que foi assistente pessoal e amigo do artista, ao tabloide The Sun. Uma conversa que ficou marcada por revelações polémicas. "As pessoas achavam que ele não gostava de mulheres mas eu sei que ele gostava. Ele via fotografias de mulheres nuas e até me mandava ir às bancas de jornais comprar-lhas", assegura Scott Shaffer. "Às vezes, em vez da Playboy ou de outras revistas do género, ele pedia-me para lhe trazer umas que tivessem mulheres gordas ou mulheres mais velhas. Ele gostava do que era invulgar", garante mesmo o antigo colaborador.

As revelações não se ficam, no entanto, por aqui. "O Michael tinha esse lado mas depois tinha um outro, muito infantil", descreve Scott Shaffer. "Nós éramos parecidos. Éramos crianças grandes e ambos adorávamos ir à Disneylândia. A melhor parte de ir com ele é que não tínhamos de aguardar nas filas", confidencia. "Nessa vez, andámos oito vezes na [montanha-russa] Space Mountain [uma das atrações mais populares]", recorda o antigo assistente pessoal.

"E ele também gostava de livros infantis. Era muito comum pedir-me para lhos ler na cama", desabafa ainda Scott Shaffer. Nascido em Gary, no Indiana, nos EUA, a 29 de agosto de 1958, Michael Jackson, que pode recordar de seguida, foi uma das maiores estrelas musicais das décadas de 1970, 1980 e 1990. Apesar de ser o artista que mais discos vendeu de todos os tempos, mais de 1.000 milhões, foram também muitos os escândalos em que se viu envolvido.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.