O programa das comemorações, apresentado ontem, 20, vão decorrer ao longo do ano, sob o signo da “responsabilidade parental”, estando previsto uma série de atividades desde o lançamento de uma campanha de responsabilidade parental, fóruns, conferências, caminhadas, concursos, exposições entre outras ações.

A comissão de honra vai ser presidida pela primeira-dama de Cabo Verde, Lígia Fonseca, ela que é também madrinha de honra das Aldeias SOS de Cabo Verde.

Segundo Lígia Fonseca, este ano de atividades vai ser aproveitado, sobretudo, para promover os ideais das Aldeias SOS, que é garantir que todas as crianças possam ter um sorriso, resultando do sentir o calor de uma família.

A primeira-dama, em nome de todos os integrantes da comissão, prometeu dar o seu melhor, colocando à disposição as suas competências, as suas imagens, conhecimento e boa vontade para que, efetivamente, o nome das Aldeias SOS e o trabalho que estão a ser realizados sejam melhor conhecidos.

Falando da questão da responsabilidade parental, Lígia Fonseca sublinhou que perante a situação atualmente existente não se pode garantir o bem-estar das crianças se não se começar a ser mais exigente com a responsabilidade dos pais.

“A responsabilidade parental é responsabilizar os progenitores, tanto o pai como a mãe. Esse direito de ser pai e de ser mãe vive conjuntamente com o dever importante de assegurar o bem-estar físico e psicológico de todas as crianças sob os nossos cuidados e todos nós temos consciência que há passos a dar”, sustentou.

A esposa do chefe de Estado reconhece que muito tem sido feito em prol dos direitos das crianças, mas sublinhou que enquanto houver crianças nas ruas, casos de crianças desaparecidas e crianças violadas, não se pode dar por satisfeito.

“No mundo em que nos preocupamos cada vez mais com o ter e dedicamos muito mais horas ao trabalho, em que os nossos filhos passam mais tempo nas escolas, em que nós estamos todos os dias a descartar a nossa responsabilidade parental, é preciso que algum sino toque e nos desperte”, disse.

Neste sentido, congratulou-se com a iniciativa das Aldeias SOS de assumir esse desafio de trazer para o centro das discussões e das reflexões essa questão da responsabilidade parental e da responsabilização de quem cumpre com os seus deveres parentais.

A Comissão de Hora das comorações dos 35 anos das Aldeias SOS em Cabo Verde integra, além da primeira-dama, o presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, a ministra da Educação e da Família e Inclusão Social, Maritza Rosabal,o presidente da Câmara de Turismo, Gualberto de Rosário.

Fazem parte ainda a presidente e o vice-presidente da Fundação Aldeias SOS de Cabo Verde, Luísa Lobo e Jorge Borges, respetivamente, o presidente da Câmara de Comércio de Barlavento, Belarmino Lucas, e o presidente da Assembleia-geral da Fundação, Orlando Mascarenhas.

As atividades vão decorrer até dezembro tendo como palco as ilhas de Santiago, São Vicente e Sal.

No quadro do programa, hoje foi assinado um protocolo de colaboração entre a instituição e a Assembleia Nacional e ainda foi laçando três concursos (literário, mediático e artístico) sobre a responsabilidade parental.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.