Trata-se, segundo a ASDE, de um vinho branco do Fogo, colheita de 2017, com tonalidade esverdeada, com aroma intenso de frutos tropicais e um toque de ervas (hortelã, erva-cidreira).

“Na boca, o vinho é suculento, com intenso caráter frutado e com excelente equilíbrio entre corpo, acidez e persistência”, acrescenta a mesma fonte, acrescentando que o Passarinha pode ser apreciado como aperitivo e para acompanhar pratos como “sushi” e pratos de queijo.

A Vinha Maria Chaves, um projeto iniciado em 2004/5, apresentou em 2013 os seus primeiros vinhos, batizados com nomes das ilhas, Sanvicente (vinho rosé), Santa Luzia (vinho branco), Santiago (tinto com menor percentagem de volume de álcool) e Sanfilipe (tinto com maior percentagem do álcool), tendo mais tarde colocado no mercado o vinho Pico do Fogo e agora vai lançar o vinho Passarinha.

Os vinhos Maria Chaves Santa Luzia (branco) e Pico do Fogo (reserva) produzidos nas encostas da  ilha do Fogo foram galardoados com medalhas de ouro no vigésimo sexto concurso mundial de vinhos extremos, realizado no Vale da Aosta, região autónoma do noroeste de Itália de 12 a 14 de julho de 2018.