Uma boa almofada é essencial para uma noite de sono serena e reparadora. Por isso mesmo, deve merecer da nossa parte a mesma atenção que damos a todos os outros acessórios do quarto. Tendo em conta o número de horas que passamos a dormir, não pode recorrer à primeira que lhe aparecer à mão. Existem modelos feitos em algodão, outros que contêm penas ou penugem de pássaros, assim como almofadas sintéticas com enchimento de bolas de poliéster.

Há também almofadas feitas de uma espuma própria que se adapta ao peso do nosso corpo, moldando-se aos contornos do pescoço e cabeça. A escolha não será fácil e, também aqui, deverá experimentar sempre antes de despender o seu dinheiro, tal como sucede com o seu colchão, que lhe deve garantir um repouso noturno efetivo.

O ideal é, ao adquirir uma almofada, optar por uma versão baixa que se adapte às condições da sua coluna cervical. Nos últimos anos, muitos fabricantes de colchões e de almofadas investiram em tecnologias que potenciam o descanso noturno, como também sublinha Matthew Walker, investigador e professor de neurociência e psicologia britânico, no livro que escreveu, "Why we sleep: The new science of sleep and dreams". O material utilizado é fundamental para um repouso efetivo. O algodão, um dos mais económicos, é propenso a absorver mais calor e a perder a forma.

Macias e confortáveis, as de penas são uma aposta segura. Existem, no entanto, pessoas que fazem alergia às de pato e às de ganso, um fator a ter em conta no momento de adquirir uma nova. As de espuma que memorizam as posições adotadas durante a noite, moldando o seu formato ao da cabeça para um maior apoio, são outra opção disponível.

Hipoalergénicas, têm a vantagem de não precisarem de serem lavadas mas, como por norma são mais firmes e pesadas, absorvem o calor durante a noite, podendo gerar uma situação de desconforto. As almofadas de microfibra, macias e mais fofas, não retêm a transpiração nem a humidade durante a noite. Mais caras, têm a desvantagem do preço.

As almofadas devem ser substituídas de dois em dois anos, como recomendam os especialistas, porque a pressão que é exercida enquanto dormimos altera o seu formato e torna-as menos confortáveis e eficientes na proteção da nuca. Mas, na realidade, como demonstram os resultados de um estudo, a maioria tende a mantê-las durante 3,2 anos.

No caso de estar na altura de trocar a sua e de não se importar de arriscar a fazer esta compra online, propomos-lhe uma série de almofadas que vão devolver a tranquilidade e o conforto ao seu sono. Para além de penas de aves, há uma que é fabricada com um tecido usado pelos astronautas da NASA e outra produzida com plástico reciclado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.