Mar Morto

Famoso por ser o ponto mais baixo da Terra, está a evaporar-se a passos largos, diminuindo cerca de 90 centímetros a cada ano que passa.

Cidade do México

Foi originalmente construída sobre um lago, utilizando-se plataformas aquáticas aztecas.

Mais tarde, o lago foi drenado, o que parece ter sido uma ideia infeliz, pois o terreno argiloso (mole), situado acima do nível de água, não era um bom suporte para a construção de edifícios.

Entretanto, devido ao aumento populacional, o governo foi obrigado a procurar novas fontes de água, utilizando o aquífero subaquático (unidade geológica que contém água) que outrora alimentava o lago.

À medida que o manto de água era esvaziado, a camada de argila, pouco a pouco, ia afundando-se, tendo descido mais de nove metros no século passado.

Maldivas

As paradisíacas ilhas podem desaparecer em menos de 200 anos.

Porquê? Porque são inteiramente planas, podendo facilmente estar sujeitas a cheias.

Para piorar a situação, os níveis do oceano têm vindo a subir devido ao aquecimento global.

Monte Kilimanjaro

Localizado no norte da Tanzânia, é o ponto mais alto de África (5895 m), tratando-se de um antigo vulcão, cujo topo está sempre coberto de neve.

Mal sabia Hemingway, autor do livro «As Neves de Kilimanjaro» (que depois foi adaptado para filme), que as neves não estão a resistir ao calor progressivo que se regista nas zonas equatoriais, derretendo e não sendo posteriormente substituídas, já que o clima tem sido pautado pela falta de precipitação.

Route 66

A mítica auto-estrada, que liga Chicago a Los Angeles, não conseguiu crescer à medida da sua popularidade e foi ultrapassada por estradas modernas que conseguem dar vazão ao fluxo de trânsito que por ali passa.

A Route 66 já foi apagada de muitos mapas de estradas americanos e, embora cerca de 80 por cento da estrada seja passível de ser percorrida, encontra-se em mau estado e relegada para segundo, terceiro, quarto ou quinto plano.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.