Faz parte da gastronomia tradicional portuguesa e torna qualquer canja mais saborosa. "A hortelã é uma das minhas ervas aromáticas favoritas e é também uma das mais fáceis de cuidar", assegura Teresa Chambel, arquiteta paisagista, blogger, autora de livros de jardinagem e diretora da revista Jardins. "Podemos cultivá-las facilmente em vaso, em floreira ou até mesmo no jardim, mas temos de ter muito cuidado para não as misturar com outras plantas, pois são muito invasivas e agressivas", sublinha.

"Há muitas variedades de hortelã mas eu gosto particularmente da Mentha piperita, da Mentha chocolate e da Mentha limão, que são cultivares da Mentha piperita", esclarece a especialista. Para além de aromatizar caldos, as mentas, como também lhes chamam, são deliciosas para fazer sumos, saladas e também para temperar carnes. A hortelã, que pode aprender a cultivar no vídeo que se segue, tem propriedades medicinais, analgésicas e digestivas. Alivia as gripes e constipações e a obstrução nasal.

A hortelã é utilizada desde a antiguidade. "É uma planta herbácea perene que lança hastes muito grandes que podem invadir todo o seu canteiro", adverte, contudo, Teresa Chambel. "A parte aérea pode desaparecer no inverno se estiver muito frio, pois esta é uma planta que não é resistente ao frio", esclarece a diretora da Jardins. No que se refere às condições de cultivo, a menta gosta de zonas de com sol direto. "Mas não precisa de ser o dia todo", acrescenta ainda a arquiteta paisagista portuguesa.

A hortelã também não aguenta temperaturas negativas e a rega não pode ser descurada. "As mentas adoram água. Por isso, nos dias mais quentes, devem ser regadas diariamente para não se ressentirem", recomenda a autora dos livros "Um jardim para cuidar" e "Um jardim dentro de casa", dois dos títulos publicados em Portugal pela editora A Esfera dos Livros. "Deve ser fertilizada mensalmente na primavera e no verão, com fertilizante orgânico ou composto", indica ainda Teresa Chambel. No que se refere à mudança de vaso, também há indicações a ter em conta.

"Podemos podar e reenvasar no outono e aproveitar para fazer estacas", defende. Em termos de poda e colheita, é importante remover as folhas e os ramos secos e podar no outono ou inverno. "Para fazer a colheita, corte acima de uma ramificação dupla. Pode aproveitar quando podar e colocar a enraizar num copo de água", propõe ainda a diretora da Jardins. "Mude a água todos os dias e, uma semana depois, já tem raízes para ser plantada", garante a arquiteta paisagista e blogger de jardinagem.

Tal como sucede com a esmagadora maioria das variedades botânicas que podem ser admiradas em vasos, canteiros, jardins ou até mesmo na natureza selvagem, a hortelã também não está a salvo de pragas e doenças. "É muito atacada por lagartas", alerta. Plantar vários tipos de hortelã num mesmo vaso é um solução prática que não deve descartar. "É importante usar um substrato universal rico em matéria orgânica e colocar uma fertilização extra de corno torrado", afirma ainda.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.