Os taoístas procuraram compreender o que acontecia dentro do corpo, fazendo comparações com o que acontecia na natureza, encontrando correspondências exatas.

As leis da Natureza eram idênticas em todos os níveis e situações. Quando se deparavam com uma relação exata entre um sistema interno do corpo e um sistema do universo, eles passavam a contar com um equivalente energético a que podiam recorrer.

Daqui resultam conceitos como macrocosmo grande (Universo) e microcosmo pequeno (ser humano). Assim os taoístas deduziram “As coisas são grandes lá fora e pequenas aqui. Vou trazer o que está lá para cá, fazê-lo pequeno e dominá-lo em miniatura, onde a minha consciência está, e então torno a projetá-lo para fora.”

Os taoístas diziam que o inicio da vida de um ser humano se assemelha ao começo da vida do universo. Se compreendermos o nosso corpo, conseguimos compreender o universo inteiro. As Leis da Natureza são as mesmas para todos os nascimentos e concepções.

Estes observaram os efeitos dos processos universais que ocorriam naturalmente sobre a natureza humana. Observando a natureza e pesquisando a influência da energia sobre o corpo humano e dentro dele, puderam seguir as pistas da energia da natureza até às suas origens, praticando meditação.

Daqui perceberam um vazio primordial de um nada, a partir de onde tudo se iria criar.

A força da natureza ou universal viria a alimentar a mente, a alma e o espírito de cada indivíduo e tudo o que existe no universo, dando origem à força da Terra e ao Chi, como força invisível da vida, a respiração cósmica ou a força vital que permeia e alimenta tudo o que existe debaixo do sol.

Nos seres humanos, esta energia é sentida, tendo sido acumulada através da energia maternal pré-natal, aliando-se ao sangue e fluindo por todo o corpo.

A condição e o movimento destas energias forma assim a base de cura nas artes chinesas.

“Quando o chi flui, o sangue circula. Quando o chi estagna, o sangue congela”

Do Chi original surgiram as polaridades Yin e Yang, responsáveis pela formação de toda a matéria, inclusive o corpo humano.

A energia yin expressa-se como emocional, passiva, receptiva, vazia, noite, interior, frio, água, escuro, descanso e lua. A inteligência é assim de constituição yin. Por outro lado, o Yang expressa-se como criativo, cheio, ativo, dia, movimento, quente, exterior, fogo, céu e o sol. Yang é, assim, superficial, ou seja, aquilo que se vê, representando a expressão da inteligência. Estas energias influenciam-se reciprocamente de modo constante e continuo.

Os humanos são criados por um equilíbrio harmonioso destas duas forças.

A formação do corpo humano reflete a formação do Universo. Primeiro existe o nada, depois o encontro de células entre a mãe e o pai, inicia a formação de um ser humano. Este processo traduz-se numa representação do Tai Chi - O grande principio primordial. Da concepção ao inicio da vida com o nascimento, O Chi Original mantém-se como força vital.

Os taoístas afirmam que se conservarmos e cultivarmos o Chi, ele fornecer-nos-á energia indefinidamente.

Paralelamente a um conceito Taoísta acerca da força criadora e processo de fluxo energético nos canais do corpo humano, ou seja, os meridianos, existe um outro conceito criado com base no estudo da energia prânica, uma força biológica muito bem documentado no Ayurveda.

O prana é a fonte principal da saúde física e energética, fluindo este nos canais, a que se deu o nome de Nadis.

O prana, como a fonte da função mental e da percepção, permite-nos raciocinar e sentir. Permite-nos interagir com os cinco sentidos, o corpo e o universo físico. As formas mais elevadas do yoga preocupam-se com o desenvolvimento do prana neste nível, ou seja, o corpo subtil que controla a mente e os sentidos.

Os aspetos avançados do Ayurveda são capazes de harmonizar o prana e auxiliar em todas as formas do desenvolvimento pessoal e da descoberta espiritual.

A consciência pura ou o Eu superior, é na realidade a suprema fonte de vida, consciencialização e sentimento. O objetivo da vida humana é sentir esse Eu superior, com o qual podemos ir além do sofrimento e da dor, principio este que se encontra presente no Ayurveda e no Yoga.

A nossa consciência e natureza juntam-se para formar o Eu superior, o nosso corpo e mente ou manifestação corporal, seguindo as Leis da Natureza.

O equilíbrio e o bem-estar tanto no corpo como na mente, são aspectos integrais do desenvolvimento espiritual e do estabelecimento de algumas práticas mais profundas.

O corpo humano é, então, formado por uma rede complexa de canais, órgãos, circuitos e tecidos em vários níveis, desde o sangue até aos mais delicados tecidos nervosos do cérebro. Estes canais interligados criam diversos padrões, ligações e conexões através dos quais, substâncias, energia e informações passam continuamente, criando um conjunto de sistemas que determina quem somos.

Independentemente do caminho de vida ou metodologia com que nos identifiquemos, o que importa, é manter o fluxo energético ativo, saudável e harmonioso, permitindo-nos manter um elo perfeito entre o céu e a terra ou entre o micro e o macrocosmos.

Texto: Brahmi Wellness

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.