Quando a violência doméstica chega a nossa casa através da televisão

Um desentendimento, que tomou proporcões físicas, entre o casal Marcos Harter e Emily, que participavam na 17ª edição do reality-show Big Brother Brasil (BBB), levou a que se gerasse uma discussão em torno do tema violência doméstica.

“O BB como vocês sabem é um programa de entretenimento, a gente faz isso aqui para divertir vocês só que muitas vezes o programa reflete a vida como ela é, e como na vida as decisões fortes, firmes precisam ser tomadas quando os fatos justificam.” Foi assim que Tiago Leifert, encarregue de apresentar da edição brasileira do reality-show Big Brother Brasil (BBB), comunicou aos espectadores a expulsão do concorrente Marcos Harter que agrediu física e psicologicamente a namorada Emily.

Tudo aconteceu durante uma festa, no passado sábado, em que o casal começou a discutir a propósito do vencedor do reality show. Entre gritos e apertões, o cirurgião plástico, de 37 anos, encurralou a namorada, de 20, num canto onde lhe apertou o pulso, de acordo com o jornal brasileiro Folha de S Paulo.

Nas redes sociais, o assunto tornou-se num dos mais comentados com os utilizadores a exigirem a expulsão do concorrente, pouco tempo depois do escândalo sexual que envolveu o ator José Mayer, que obrigou à tomada de medidas por parte do canal.

O caso tomou tal proporção que a delegada titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) dirigiu-se aos estúdios do Big Brother de forma a falar com o casal, a submeter a jovem a um exame clínico de forma a verificar possíveis lesões corporais e recolher imagens do sucedido, que acabou na instauração de um processo. Esta intervenção por parte das autoridades competentes só foi possível devido ao facto da jovem ter expressado verbalmente a agressão física de que foi alvo dentro da casa dispensando assim a apresentação de uma queixa formal.

"A delegada Viviane já está na Globo para ouvi-lo e estamos com um perito à disposição para fazer um exame na Emilly. Conseguimos achar um vídeo em que ele aparece segurando o cotovelo e existe uma marca no braço dela. Diante disso, já temos indício. Conseguimos instaurar inquérito. Dependendo do laudo do perito e do que está lá no vídeo, já é uma prova bem contundente e até o fim do dia já teremos uma decisão sobre as medidas protetivas", explicou a delegada Marcia Noeli Barreto, chefe da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá, citada pela Folha de S Paulo.

Após analisar a fundo as imagens e conversar com diversos especialistas, a Globo decidiu expulsar o concorrente, esta segunda-feira, uma decisão que não foi bem recebida pela vítima. “Ele só perdeu um pouco a cabeça. O nosso psicológico está muito alterado”, afirmou a concorrente após saber da expulsão do namorado que acabou por pedir desculpa em comunicado.

Já fora do programa, Marcos Harter foi prestar depoimentos a propósito das agressões mas ainda falta ser ouvida a vítima e finalista do programa que termina esta quinta-feira no Brasil.

“O exame de corpo de delito vai ser colocado para nosso perito. Ainda tem muita coisa para percorrer na investigação e nas provas. Se for uma questão de violência doméstica, a pena da lei Maria da Penha é de um a três anos", afirmou a delegada Marcia Noeli.

De acordo com a Lei Maria da Penha, que garante a proteção das mulheres contra qualquer tipo de violência doméstica, os agressores podem ser condenados a uma pena de prisão que pode ir até três anos.

Segundo o regulamento do Big Brother Brasil (BBB), o programa televisivo não permite qualquer tipo de agressão entre concorrentes, dando direito a expulsão. Recorde-se que durante a transmissão de formatos televisivos semelhantes já aconteceram situações de violência que resultaram em expulsão. Em 2010, durante a emissão do programa 'Casa dos Segredos', o concorrente Vítor Rangel foi expulso após puxar os cabelos à namorada Ana Isabel Ribeiro.

Comentários