Marido da rainha da Dinamarca quebra tradição real ao não querer ser enterrado ao lado da esposa

De acordo com um comunicado feito pelo palácio real na quinta-feira, o príncipe consorte Henrik, de origem francesa, deseja ser sepultado longe da rainha Margrethe II. O casal está casado há 50 anos.
créditos: HENNING BAGGER / SCANPIX DENMARK / AFP

Frustrado por sempre ter sido relegado para segundo lugar, o príncipe consorte Henrik, de 83 anos, decidiu que não quer partilhar o túmulo com a mulher, a rainha Margrethe II. Casados há 50 anos, a soberana está "de acordo" com a decisão do marido, informou ao jornal BT a chefe de comunicação do palácio, Lene Balleby.

Questionado pela Agência France-Presse (AFP), um porta-voz da Corte confirmou as informações mas sem entrar em mais detalhes sobre o assunto.

A decisão do Príncipe deve-se ao fato de, em vida, nunca ter tido uma relação de igualdade com a esposa. Deste modo, não quer que isso se mantenha após a morte, explicou Balleby.

Recorde-se que o príncipe Henrik nunca escondeu o seu desgosto por não ter obtido o título de Rei e, segundo a mesma fonte, este descontentamento aumentou nos últimos anos.

Apesar de quebrar a tradição real ao não ser enterrado junto da mulher na catedral de Roskilde, o príncipe pretende ser sepultado na Dinamarca.

Ele "ama a Dinamarca e trabalhou ao seu serviço durante mais de 50 anos. O Príncipe quer ser enterrado na Dinamarca, mas os detalhes ainda não foram definidos", disse Balleby.

O Príncipe, nascido Henri Marie Jean Andre Count de Laborde de Monpezat, conheceu aquela que viria a tornar-se sua esposa em 1965 altura em que trabalhava na embaixada da França em Londres.

A personalidade enérgica de Henrik nunca cativou os corações dos dinamarqueses, que fizeram troça de si ao anunciar que se ia retirar da vida pública no início de 2016.

Comentários