Empréstimos entre amigos: como proceder (caso seja aceite ou rejeitado)

Avisamo-lo sem rodeios: nunca é boa ideia misturar amizade com dinheiro. Porém, se se sente mais à vontade para pedir um empréstimo a um amigo do que a um banco, siga as nossas recomendações para que tudo corra da melhor forma possível e sem perder a amizade.

Business people talking together in the park

créditos: Pexels

Se o seu amigo aceitar o seu pedido de empréstimo...

Leve o empréstimo muito a sério

Mesmo que opte por pedir um empréstimo a um amigo em detrimento do banco, não o trate como algo sem grande importância cujo pagamento é opcional. Lembre-se de que, caso o seu amigo concorde em emprestar-lhe o dinheiro, estará a depositar em si uma grande dose de amizade e confiança que não merecem ser traídas.

Comprometa-se a pagar o dinheiro na íntegra mesmo que seja em prestações, definindo uma quantia certa para transferir ao seu amigo todos os meses. Escolha uma data do mês (depois de receber o seu vencimento, por exemplo) para efectuar a transferência e respeite-a sem excepção.

Legitime o empréstimo

Melhor ainda: porque não legitimar o empréstimo para mostrar ao seu amigo que pretende pagar o que lhe emprestar e levar o empréstimo tão a sério como se o tivesse pedido ao banco? Considere oficializar o empréstimo recorrendo a serviços de notariado ou apenas até escrever um email a resumir o valor do empréstimo, o valor da prestação que se compromete a pagar por mês e outros detalhes de que se lembre e sejam importantes. O objectivo é que o “contrato” entre ambos ganhe expressão escrita para que, mais tarde, não surjam discussões assentes no “diz que não disse”.

Nota: Quando se trata de empréstimos entre particulares, é muito comum ambas as partes prescindirem de um contrato, motivados pelo grau de proximidade. Porém, quando os empréstimos ultrapassam os 2500€, é – de facto – necessário assinar um documento em que estão estipuladas as regras para o empréstimo e devidamente reconhecido por um notário. Desta forma, evitará problemas no caso de chegar a vias judiciárias.

Mesmo que o empréstimo seja inferior a 2500€, pode sempre optar por assinar uma minuta de empréstimo, pois será sempre uma proteção extra e uma motivação para que a outra pessoa se comprometa a restituir-lhe o dinheiro de forma mais séria e consistente.

Em empréstimos acima de 25.000€ já será necessário realizar uma escritura pública ou um documento particular autenticado por um solicitador.

Ofereça garantias

Discuta com o seu amigo as opções para pagamentos em atraso. Garanta que a sua prioridade será sempre pagar a tempo e horas, mas que na eventualidade de tal não ser possível, elabore um plano claro para o caso de ocorrer um atraso no pagamento de uma prestação. Nesse plano pode enumerar algumas consequências para o caso de tal acontecer, tais como pagar uma multa ou pagar essa quantia no total juntamente com a prestação seguinte. As multas podem ser em dinheiro ou mesmo em tarefas que poderá executar pelo seu amigo como “castigo”.

No caso do seu pedido de empréstimo ter sido rejeitado...

Aceite um “não”

As razões que levam alguém a rejeitar um pedido de empréstimo de dinheiro podem ser inúmeras; na verdade serão bem mais numerosas do que as que terá para aceitar. Porém, por mais que fosse uma solução conveniente para si, aceite a decisão e não deixe que a relação de amizade saia prejudicada.

 Procure uma alternativa

Se os seus pedidos forem negados ou não tiver mais nenhum amigo a quem possa pedir um empréstimo (ainda que sempre defendamos que o melhor é evitar misturar amizade e dinheiro), pense em procurar ajuda junto de profissionais. Se precisa de uma folga orçamental por estar sobrecarregado com dívidas ou elevadas prestações devido a créditos, considere renegociar as suas dívidas ou consolidar os seus créditos junto de um profissional de confiança. No final, poderá ajudá-lo de formas que um amigo (que não seja consultor financeiro) não conseguirá e não se arriscará a perder uma amizade.

artigo do parceiro:

Comentários