Diga não ao stresse natalício

Não se deixe levar pela agonia. Celebre esta quadra com os ingredientes que lhe devem estar subjacentes. Altruísmo, boa disposição, tranquilidade e harmonia. A reflexão de uma psicóloga.

Doces, presentes, festa, família... É fácil associarmos estas palavras à quadra natalícia mas também há quem associe, muito provavelmente é o seu caso, esta época a cansaço, stresse, ansiedade, agonia e frustração. Andamos de um lado para o outro em compras extenuantes, à procura do melhor presente e em preparativos para o Natal. O presépio, a árvore de Natal, a decoração da casa, as refeições, as roupas para estrear...

Tudo tem que estar perfeito e proporcionar uma ótima festa para todos. Esta azáfama deixa-nos muitas vezes mal-humorados e irritados pois vamos até às últimas consequências físicas, monetárias e emocionais, sentindo que muitas vezes o nosso esforço e empenho não é reconhecido pelos outros, sobretudo pelos familiares e pelos amigos mais próximos, podendo despoletar sentimentos de frustração e ineficácia.

Tal é o stresse que em vez de aproveitarmos o momento para nos divertirmos, como deveríamos, passamos o tempo todos preocupados com o que ainda não fizemos o que provoca uma ansiedade imensa. Estaremos nós a viver o Natal ou a viver as nossas preocupações? Essa é uma das questões que deve começar por se colocar. Apesar de toda a campanha comercial, o Natal é um momento para celebrar.

É preciso não esquecê-lo. É um dia para estar reunido com quem mais gosta, para partilhar e desfrutar da alegria de simplesmente estar junto da sua família e amigos. Não entre, por isso, em stresse! Aproveite o momento e abandone a fantasia da perfeição. Uma forma de aproveitar mais é não deixar tudo para a última da hora. Veja também a galeria de imagens com ideias para decorar a sua casa para o Natal.

Texto: Catarina de Castro Lopes (psicóloga) com Luis Batista Gonçalves (edição)

artigo do parceiro:

Comentários