Um rio desapareceu em quatro dias. A culpa é nossa e do aquecimento global

O rio Slims mudou de curso, um fenómeno apelidado pelos cientistas como o primeiro caso de “pirataria fluvial”. As consequências? Podem ser devastadoras para o ser humano e biodiversidade, revela um novo estudo.

Segundo Dan Shugar, autor do estudo e cientista da Universidade de Washington Tacoma, nos Estados Unidos, é a primeira vez que se regista um caso de pirataria fluvial em milhões de anos. "Fomos para aquela região com a intenção de continuar com as nossas medições no rio Slims, mas encontrámos um leito do rio quase seco", comenta James Best, geólogo da Universidade de Illinois e coautor do estudo.

O degelo de um dos maiores glaciares do Canadá  - o Kaskawulsh  - fez com que o rio Slims desaparecesse em quatro dias.

O fenómeno foi provocado pelo desvio total do curso de água para um outro rio a milhares de quilómetros durante o final de maio, mas só agora foi divulgado na revista Nature Geoscience.

No artigo científico, estima-se, com 99,5% de certeza, que o derretimento do glaciar e subsequente mudança de rumo do rio são culpa das alterações climáticas provocadas pelo ser humano.

No estudo, os cientistas alertam que face aos perigos do aquecimento global, este tipo de fenómenos pode tornar-se frequente e prejudicar de forma devastadora a biodiversidade e as populações.

15 consequências das alterações climáticas para a saúde

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários