Sida: Santa Catarina conta com mais de 100 pacientes registados e em seguimento na Delegacia de Saúde

Mais de uma centena de pacientes registados em Santa Catarina, município do interior da ilha de Santiago, estão em seguimento na Delegacia de Saúde, informou hoje a psicóloga Nascimento Semedo.
créditos: Inforpress

De acordo com a responsável, que falava à Inforpress à margem de uma marcha realizada na cidade de Assomada, para celebrar o Dia Mundial de Luta contra a Sida, que se assinala hoje, as consultas deste “bom número” de pacientes são programadas e os mesmos estão a aderir “muito bem”.

Em termos de evolução da doença, conforme Nascimento Semedo, todos os anos registam-se novos casos, em Santa Catarina, o que mostra que a prevenção “tem falhado”, por isso, a psicóloga aproveitou para apelar as pessoas a apostarem na prevenção.

No que concerne à marcha que levou alunos do Liceu Amílcar Cabral às principais artérias da cidade, a médica explicou que a iniciativa teve como propósito sensibilizar os alunos da escola, em particular e, de forma geral, a sociedade sobre a problemática.

Lembrou que além da marcha, realizada em parceira com este liceu, foram igualmente promovidas atividades descentralizadas para assinalar a efeméride, como palestras e conversas abertas destinadas aos alunos e professores, e ainda junto de algumas comunidades.

A Região Sanitária Santiago Norte (RSSN) promoveu, recentemente, uma jornada de saúde alusiva ao tema “VIH/Sida e as novas estratégias 90-90-90”, no âmbito da nova estratégia de combate à doença, lançada pelas Nações Unidas denominada “90-90-90”.

Com esta nova estratégia, pretende-se até 2020, que 90 por cento (%) das pessoas seropositivas saibam que estão infectadas com o vírus de VIH, e que destes 90% recebam a terapia anti-retroviral, e ainda que 90% dos indivíduos que receberam o tratamento venham a ter uma taxa indetectável de vírus no sangue.

Em declarações à Inforpress no final dessa II Jornada de Saúde, o diretor da RSSN João Baptista Semedo garantiu que a região tem todas as condições para atingir este objetivo lançada pela ONU.

É que segundo o médico, a RSSN, a nível do tratamento, está acima da média nacional, em que a taxa de tratamento ronda os 65% e a região está em 78%, ou seja, em Santiago Norte está-se mais próximo de atingir os 90% do que a nível de todo o país.

Conforme sustentou o médico, atingindo 90% em tratamento, vão estar em condições de atingir as outras duas metas, mormente a primeira que é diagnóstico, acrescentando que pretendem reforçá-la para que todo mundo saiba “se está ou não afetado com o vírus de VIH”.

Reforço no diagnóstico precoce, em que todas as estruturas devem enveredar esforços para melhorá-lo, através de disponibilização dos testes para a população geral e reforçar a continuação da aplicação dos testes de VIH nas grávidas que neste momento é 100%, são algumas das recomendações saídas da II Jornada de Saúde.

Uma outra recomendação tem a ver com o reforço na distribuição dos preservativos, com novas estratégias, ou seja, criação de outros pontos de distribuirão que não seja somente centros de Saúde.

Comentários