Santiago Norte: Sobe para dois o número de casos de paludismo importado em Santa Catarina

O número de casos confirmados de paludismo importado da Cidade da Praia no concelho de Santa Catarina, interior de Santiago, subiu para dois, confirmou hoje a responsável da brigada anti-larval, Madalena Monteiro.

Em entrevista à Televisão de Cabo Verde (TCV), a enfermeira Madalena Monteiro explicou que após a notificação, atuaram de imediato, considerando a situação de “estável”.

Apesar de ter registado apenas dois casos de malária, a responsável apontou como “maior preocupação” a questão dos pardieiros abandonados na cidade de Assomada, que, disse, constituem um autêntico viveiro dos mosquitos.

A propósito a mesma fonte pede a intervenção da autarquia, uma medida que o vereador do Saneamento e Ambiente da Câmara Municipal de Santa Catarina, Vladmir Brito assegura que vai ser para breve.

O autarca fez saber ainda que vão trabalhar com outras entidades para que juntos possam “atacar” os focos dos mosquitos.

A Delegacia de Saúde de Santa Catarina tem em acção o seu plano anual de Pulverização em todas as escolas, jardins infantis e nas instituições e ainda em zonas consideradas de risco.

Em Assomada o último caso de paludismo autóctone foi registado em 2014, e em 2016 foram registados cinco casos importados e este ano dois casos importados da capital.

O primeiro caso, que a Inforpress noticiou em primeira-mão, é da localidade de Ribeira da Barca, a uma criança de sexo feminino que tinha estado de férias na Cidade da Praia, assolado por um surto da doença com registo de mais de 170 casos, sendo 14 importados dos países endémicos.

Cabo Verde registou desde o início do ano até esta quinta-feira, 184 casos de paludismo, os números são os mais altos desde 1991, segundo dados do Ministério da Saúde.

O paludismo é uma doença provocada por um parasita que afeta o ser humano através de picadas de certos mosquitos. Esta doença, que também se conhece como malária, provoca febre, cefaleias (dores de cabeça), tosse, fraqueza muscular, vómitos, problemas hepáticos e renais, alterações no sistema nervoso central e outros transtornos que podem levar à morte.

Comentários