Saneamento básico é fundamental no combate ao mosquito, disse especialista

Cabo Verde precisa resolver os problemas de água, esgoto, drenagem e resíduos sólidos para poder dar combate aos mosquitos e às doenças provocadas pela infestação desses nos habitats.
créditos: Inforpress

A afirmação é do especialista em Saúde Pública Ricardo Tavares, em declarações à Inforpress, para falar sobre as causas da infestação dos mosquitos no município da Praia e do problema de saneamento do país que quer em 2020 erradicar o paludismo.

“Não vamos resolver o problema só pedindo às pessoas que tenham atenção com as vasilhas de água e que deitem areia no prato das plantas, quando centenas vivem excluídas das infra-estruturas, que se melhoraram, porém, em algumas cidades no que tange ao saneamento”, disse.

Ricardo Tavares, que entende que a reforma urbana das cidades e das localidades deve ser uma urgência da politica do governo, é também de opinião que se deve resolver os quatros problemas sérios do sector de saneamento e que passam por água, esgoto, drenagem de águas e colecta de resíduos sólidos.

“Se não tivermos um serviço de colecta de lixos que dê respostas às necessidades da população e das localidades, como é que poderemos salvar os cursos de água que são esgotos e drenagem onde o lixo vai directo. Como podemos ter a pretensão de eliminar o paludismo com esta situação?”, interroga, lembrando as fossas abertas e outros que são um verdadeiro atentado à saúde publica.

Segundo o especialista, com a acumulação de lixo nas ruas é impossível dar combate aos mosquitos, pois, a água pluvial que fica entre as lixeiras é um potencial viveiro de mesmos.

Questionado sobre quem deve resolver estes problemas, Ricardo Tavares aponta o dedo para as câmaras municipais e o governo, duas autoridades que, segundo ele, devem se unir para resolver o problema lá onde compete a cada um.

Lembra, ainda, que apesar do problema de saneamento ser urbano e territorial, ela necessita, também, do engajamento da sociedade para poder surtir efeito.

À sociedade cabo-verdiana, o especialista  deixa o apelo de um “combate ao analfabetismo de “pensamento” e do fazer mais, cumprindo a lei de boa vizinhança, quando limpa o redor da sua casa e deita o lixo no seu local apropriado”

Comentários