Praia: Número de casos de paludismo com tendência decrescente, garantem autoridades sanitárias

A delegada de saúde da Praia, Ullardina Furtado, disse ontem, 10, que há uma tendência para a redução dos casos de paludismo, tendo neste sábado, 09, sido registado apenas três casos, depois do pico de mais 10 casos diários.

Praia

créditos: Inforpress

Essa tendência decrescente dos casos de paludismo na capital cabo-verdiana é também assinalada pela diretora Nacional da Saúde, Maria da Luz Mendonça.

Contudo, ambas consideram que os alertas devem continuar devendo a aposta continuar na prevenção da doença, através do combate aos mosquitos, já que o país está em plena época das chuvas, momento em que são registados maiores números de casos.

Até este momento, já foram registados, só na Cidade da Praia, mais de 170 casos, dos 190 verificados, até sábado, a nível nacional, incluído os casos importados.

Segundo o Ministério da Saúde, este ano o país já atingiu o número recorde dos casos, já que o maior número até agora registado, desde 1991, tinha sido 140 casos, em 2000.

O paludismo é uma doença provocada por um parasita que afeta o ser humano através de picadas de certos mosquitos. Esta doença, que também se conhece como malária, provoca febre, cefaleias (dores de cabeça), tosse, fraqueza muscular, vómitos, problemas hepáticos e renais, alterações no sistema nervoso central e outros transtornos que podem levar à morte.

Comentários