Mulheres que trabalham à noite têm 19% mais hipóteses de desenvolver cancro

As mulheres que trabalham à noite regularmente na Europa e na América do Norte têm 19% mais riscos de desenvolver cancro do que aquelas que trabalham durante o dia, segundo um estudo publicado esta semana numa revista científica de renome.

"O nosso estudo indica que o trabalho noturno é um fator de risco para cancros comuns em mulheres", disse o autor do estudo Xuelei Ma, oncologista do West China Medical Center da Universidade Sichuan em Chengdu, China.

"Surpreendeu-nos ver a associação entre o trabalho noturno e o risco de cancro de mama só entre as mulheres da América do Norte e da Europa", acrescentou.

"É possível que as mulheres desses lugares tenham níveis mais altos de hormonas sexuais, que foram associadas positivamente com cancros relacionados com hormonas, como o cancro de mama", acrescentou a autora do estudo publicado na revista científica Cancer Epidemiology, Biomarkers and Prevention.

VEJA AINDA: 17 sintomas de cancro que os portugueses ignoram

LEIA TAMBÉM: Os 10 sintomas menos conhecidos do cancro da mama

Segundo a investigação, o aumento de risco não se verificou em mulheres que trabalham de noite na Austrália e na Ásia.

A revisão incluiu 61 estudos anteriores sobre o tema, com 3,9 milhões de participantes da América do Norte, Europa, Austrália e Ásia, e mais de 110.000 casos de tumores malignos.

Estudos anteriores indicam que o trabalho noturno pode alterar os ritmos cardíacos, provocando mudanças hormonais e metabólicas, que  aumentam o risco de cancro, diabetes e depressão.

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários