Mortes por overdose duplicaram nos Estados Unidos nos últimos 10 anos

O número de mortes por overdose de opiáceos continua a crescer nos Estados Unidos, apesar dos esforços oficiais para deter o avanço daquilo que já se transformou num dos maiores problemas de saúde pública do país nos últimos anos.
créditos: AFP

De acordo com os números dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), as mortes por overdose com opiáceos, que incluem os analgésicos, as drogas sintéticas e a heroína, duplicaram entre 2002 e 2015.

O relatório indica que apesar do número de prescrições de medicamentos opiáceos ter diminuído em 2016, os casos de overdose aumentaram de 16,7 por cada 100.000 pessoas para 19,9, em comparação com o ano passado.

Em 2015, mais de 52.000 morreram por overdose de drogas, das quais 63% devido ao consumo de um opioide.

Em comunicado, os CDC pedem aos profissionais de saúde mais cautela na prescrição deste tipo de fármacos e advertências elucidativas sobre os riscos inerentes ao seu consumo.

Segundo investigações prévias dos CDC, a incidência desta dependência farmacológica é maior em cidades pequenas, com uma maior percentagem de residentes brancos não hispânicos, nas quais existe uma maior prevalência de pessoas com doenças crónicas como a diabetes e artrite.

Entretanto, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que o governo aumentará as penas de prisão contra os narcotraficantes e fará campanhas de prevenção para "ganhar" a batalha contra os opiáceos, que matam 91 norte-americanos por dia.

Veja ainda: 10 medicamentos para as dores (com e sem receita médica)

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários