Ilha do Sal: Cadeia Regional capacita reclusos na prevenção do uso abusivo de drogas e VIH/Sida

Vinte reclusos da Cadeia Regional do Sal recebem, durante dois dias, formação em prevenção do uso abusivo de drogas e do VIH/Sida, no âmbito da reestruturação e alargamento do programa de tratamento de toxicodependentes nas cadeias.
créditos: Inforpress

Pretende-se com esta ação de formação que capacita os 20 reclusos multiplicadores, o reforço de atitudes e comportamentos saudáveis e promoção de mudanças nas vidas dos pares, influenciando positivamente as suas atitudes, crenças e comportamentos.

A atividade, baseada na educação de pares, promovida pela Comissão de Coordenação do Álcool e Outras Drogas, em parceria com a Direção-Geral dos Serviços Prisionais e Reinserção Social e o Escritório das Nações Unidas Contra Droga e o Crime (ONUDC), decorre hoje e sexta-feira, das 09:00 às 15:00 na Cadeia do Sal, situada em Terra Boa.

Ana Paula Ortet, coordenadora da Unidade Livre de Droga na cadeia central da Praia, destacando a importância desta formação, apela os reclusos a aproveitarem-se da oportunidade.

“Muitos dos reclusos têm problemas de toxicodependência, por isso é bom que aproveitem essa oportunidade, façam sua terapia, através do programa de tratamento que vai ser desenvolvido na cadeia, para quando saírem terem boa reinserção na sociedade, evitando assim reincidências”, sublinhou a responsável.

Na sexta-feira, a formação é dedicada à sensibilização de agentes prisionais, profissionais que trabalham diretamente com os reclusos, no sentido de reforçar, conforme Ana Ortet, os cuidados que devem ter com as pessoas privadas de liberdade.

“Trata-se de um programa de tratamento com vista a dar respostas a reclusos toxicodependentes. Inicialmente houve alguma resistência, mas passadas as informações sobre os objetivos, como é que o programa será trabalhado… foram aderindo. Começamos com um grupo de seis e houve mais cinco pedidos, e pouco a pouco vão chegando ao grupo”, explicou.

A responsável finaliza reiterando que este tratamento vai facultar aos reclusos ferramentas que lhes permitem frequentar, quando em liberdade, espaços saudáveis, evitar lugares, pessoas e factores de risco, influenciando positivamente as suas atitudes.

A mesma formação já foi também realizada, no mês de Julho, na Cadeia Regional de Ponta de Sol (Santo Antão) e na Cadeia de Ribeirinha (São Vicente).

Comentários