Bastonário da Ordem dos Médicos aponta o diálogo com a sociedade como o principal desafio da classe

O bastonário da Ordem dos Médicos Cabo-verdianos disse ontem, 16, que o maior desafio da classe é retomar o diálogo com a sociedade civil para que os médicos possam desempenhar o seu papel da melhor forma possível.

Daniel Silves Ferreira

créditos: Expresso das Ilhas

Daniel Silves Ferreira fez esta consideração à Inforpress, à margem de mais uma atividade da Ordem, promovida na Cidade da Praia, para assinalar os 20 anos da existência da Ordem em Cabo Verde.

Criada em Janeiro de 1998, a Ordem comemora em Janeiro de 2018 20 anos de existência e para celebrar esta data, a direção da Ordem dos Médicos está a levar a cabo um conjunto de atividades, subordinadas ao lema “Um legado, Novas Oportunidades”, que se iniciou no dia 02 de novembro e prolonga-se até 31 de janeiro.

Segundo o bastonário, a programação centra-se em várias conferências sociais, no intuito de retomar e relançar o diálogo com a sociedade cabo-verdiana.

“Acreditamos que é fundamental para o médico hoje que ele tenha um diálogo fecundo, profícuo e muito forte com a sociedade civil, que é cada vez mais instruída, mais culta e mais exigente, isso para que o médico possa ter um bom desempenho e possa ter melhores resultados no que diz respeito à Medicina e ao exercício da saúde “, disse.

Defendendo que a Ordem tem estado a cumprir o seu papel, o responsável afirmou essas comemorações são uma prova do percurso feito e dos resultados obtidos que demonstram que estão realmente a cumprir o seu papel.

Daniel Silves Ferreira reconheceu que durante este percurso houve dificuldades, falhas e insuficiências, mas que a Ordem tem estado a trabalhar, ao longo desses anos, para que as essas falhas e dificuldades sejam menores ou eliminadas.

Indicou ainda que a classe médica tem trabalhado para que o desempenho do médico seja cada vez mais eficiente e que os profissionais estejam cada vez mais ao serviço da coesão social, da justiça social, e do equilíbrio social.

É nesta óptica de equilíbrio social, que hoje o tema em debate foi “As Organizações Socioprofissionais e o Equilíbrio Social”, proferido pela Primeira-dama e ex. bastonária da Ordem dos Advogados, Lígia Fonseca, com a moderação do bastonário da Ordem dos Engenheiro João Ramos.

Nesta palestra, Lígia Fonseca abordou o papel que as Ordem profissionais têm na consolidação do Estado Democrático.

Em particular à Ordem dos Médicos de Cabo Verde, disse que este tem a competência técnica para apreciar o regime jurídico cabo-verdiano em matéria de acesso à saúde e dizer se este é ou não favorável ao cidadão.

“O próprio estatuto diz que a Ordem dos Médicos deve pronunciar-se sobre o sistema nacional da saúde e verificar se ele realmente é compatível com este direito de acesso a todos à saúde e o direito de acesso às instituições de saúde”, frisou.

Ainda no âmbito do XX aniversário da Ordem dos Médicos estão previstas uma cerimónia de gratidão e reconhecimento, uma sessão evocativa do Dia Nacional do Médico, a assinatura de alguns protocolos e a Assembleia-Geral e da classe, outras atividades de caráter desportivo e recreativo.

O ponto alto das comemorações vai ser a realização do III Congresso Internacional da Ordem dos Médicos e o Congresso Nacional Médico, a realizar-se-á por ocasião do Dia Nacional do Médico, em janeiro de 2018.

Comentários