O açúcar mascavado é preferível ao açúcar branco?

Muitas pessoas têm vindo a substituir o açúcar branco por outros tipos de açúcar, menos refinados, como o açúcar mascavado. Mas será esta alteração significativa na saúde? As explicações da nutricionista Ana Rita Lopes, responsável pela Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Lusíadas Lisboa.

Mais de 90% da população portuguesa tem uma ingestão diária de açúcares simples superior ao recomendado. Consumimos, em média, 90 gramas de açúcar, diariamente, ultrapassando a quantidade de 25 gramas recomendada pela Organização Mundial de Saúde.

Existindo diferentes tipos de açúcar e estando alguns deles presentes naturalmente em alimentos saudáveis e que devem fazer parte da nossa alimentação diária, como é o caso da fruta e dos lacticínios, devemos ter uma preocupação acrescida com o açúcar (sacarose) que adicionamos diariamente aos nossos alimentos e bebidas e que encontramos em muitos alimentos industrializados.

O açúcar, nome geralmente dado à sacarose, é um tipo de hidrato de carbono simples, obtido através da cana-de-açúcar. A partir desta planta é possível obter diferentes tipos de açúcar, desde o mascavado (o menos processado) ao açúcar branco (o mais refinado).

O açúcar branco, ao contrário do mascavado, é obtido por um longo processo de refinação, sendo a matéria-prima inicial submetida a várias etapas de transformação, como filtração, evaporação e cristalização, até serem obtidos finos grãos de açúcar brancos, em que poucas propriedades nutricionais restam da planta original.

O açúcar mascavado é o primeiro açúcar a ser extraído do suco da cana, apresentando uma cor castanha por conter uma grande quantidade de melaço, uma substância líquida acastanhada existente na cana-de-açúcar e rica em minerais, como cálcio, ferro, magnésio e potássio. Podemos assim concluir que quanto mais escuro é o açúcar, menos processado foi, conservando uma maior quantidade do melaço e das suas propriedades.

Qual escolher?

O açúcar mascavado possui 377 calorias por 100 gramas, sendo ligeiramente menos calórico do que o açúcar branco, com 391 calorias para o mesmo peso. Além disso, o primeiro contém minerais que o açúcar branco perde no processo de refinação, como cálcio, magnésio, fósforo e potássio.

Mas estas características não tornam o valor nutricional do açúcar mascavado substancialmente maior que o do branco. Porquê? Por uma questão de quantidade. Apesar de ser um pouco menos calórico, a ingestão do açúcar mascavado em grandes quantidades pode ser tão prejudicial para a saúde quanto a ingestão de açúcar branco.

Em média, a recomendação diária de calorias de açúcar para adultos é de 100 calorias para as mulheres e 150 para os homens. Estes valores correspondem respetivamente a cinco e sete colheres de chá de açúcar distribuídos por todos os alimentos ingeridos diariamente que contenham açúcar na sua composição (naturalmente presente ou adicionado).

As explicações da nutricionista Ana Rita Lopes, responsável pela Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Lusíadas Lisboa.

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários