Dieta: mitos dos alimentos light

Deverá incluir os alimentos light na sua dieta?

Os produtos alimentares que apresentam a alegação nutricional de produto light, pressupõem uma redução nutricional de, no mínimo, 30% em relação ao produto semelhante. Para além disso, deve ser indicada a caraterística que torna o produto light. Esta alegação é frequentemente utilizada em produtos com muita gordura, nomeadamente requeijão, maionese, queijo processado, mas pode ser utilizada para a redução de outros nutrientes.

Mito 1: Os alimentos light são mais saudáveis

Isto nem sempre se verifica! A redução de um nutriente pressupõe normalmente outras substituições para que o alimento mantenha um sabor semelhante e agradável. Por exemplo, a um chocolate light pode ter uma quantidade reduzida de açúcar mas, por outro lado, pode ter sido adicionado aspartame – um adoçante sem valor calórico mas que está associado ao aparecimento de doenças.

Mito 2: Os produtos light têm menos calorias

A alegação nutricional de um produto light nem sempre está correta, uma vez que há produtos que efetivamente apresentam uma redução de gordura, mas que por outro lado possuem uma quantidade elevada de açúcar, por exemplo. Há efetivamente uma redução nutricional, que se enquadra na definição de produto light, mas há uma compensação com outro nutriente que pode tornar o produto mais calórico que o original.

Mito 3: Os produtos light são adequados para quem quer perder peso

Em teoria, estes produtos deveriam apresentar um valor calórico inferior aos produtos não light mas isso nem sempre se verifica. É muito importante ter espírito crítico e avaliar a rotulagem nutricional e verificar se, efetivamente, houve redução nutricional e o não houve substituição de um nutriente por outro menos saudável.
Por outro lado, alimentar-se apenas de produtos light – com redução de gordura – pode ser prejudicial para a saúde uma vez que esta é necessária para o funcionamento do organismo.

Mito 4: Podemos consumir alimentos light sem restrição

O pensamento de que “se é um alimento light então posso comer o dobro” é incorreto. Isto porque todos os alimentos possuem um valor energético associado, ainda que muito reduzido –à exceção da água. Assim, o facto de estes produtos apresentarem um teor reduzido de determinado nutriente, não significa que não apresentem calorias, pois foi-lhe adicionado outros ingredientes para substituir e tornar o produto equivalente ao convencional.

Inês Alexandra Filipe Nutricionista Holmes Place Cascais

artigo do parceiro:

Comentários