A dieta depurativa que recorre às cores para fazer emagrecer

Chegou o momento de eliminar toxinas e de queimar gorduras. Em apenas três semanas, com este plano de Marisa Costa, dietista no Hospital de São João, no Porto, perderá peso e ganhará saúde.

Tem o estômago dilatado e/ou as pernas inchadas? A sua pele está baça? Acumulou gordura nas ancas e na barriga? Propomos-lhe uma dieta diferente, delineada por Marisa Costa, dietista no Hospital de São João, no Porto, em que não vai ter de pensar em hidratos nem em gorduras mas, sim, em cores e sabores. Sentir-se-á mais leve logo na primeira semana.

Experimente! Saiba ainda quais são as melhores opções de fruta para quem quer perder peso e fique também a par dos 9 erros alimentares que se cometem (praticamente) todos os dias.

Alimentos divididos por sabores

A dieta ocidental baseia-se no equilíbrio de três tipos de alimentos (hidratos de carbono, gorduras e proteínas) e num aporte suficiente de vitaminas, minerais e oligoelementos. Já no oriente, os povos têm outra visão. Relacionam os alimentos com os vários órgãos do corpo. Agrupam os alimentos consoante o seu sabor, que pode ser tendencialmente mais ácido, amargo, doce, picante ou salgado.

Medem-nos pela sua capacidade de atuar favoravelmente na saúde e não pela sua quantidade de nutrientes. Como reage o corpo a este ou àquele alimento? O baço recebe os cinco tipos de sabores para depois os distribuir. Por si próprio, se forem doces. Pelo fígado, se forem ácidos. Pelo coração, se forem amargos. Para os pulmões, se forem picantes e, para os rins, se forem salgados.

Para que o organismo seja depurado corretamente, a dieta deve atuar sobre o fígado e a vesícula biliar. Assim, desta forma, o corpo recupera o equilíbrio interior e também melhora o seu aspeto exterior. Em termos práticos, perde peso, a pele fica rejuvenescida e a gordura localizada (nas ancas e na barriga) vai desaparecendo. Veja também a galeria de imagens com 12 coisas que quem gosta de chocolate e não quer engordar deve fazer.

O fígado gosta de verde

De que tipo de alimentos precisamos para nos depurarmos? Daqueles que refrescam e revitalizam o sistema hepático e a vesícula, ativando o metabolismo. De acordo com a medicina tradicional chinesa, o fígado enquanto órgão está ligado às emoções de raiva, ressentimento e frustração, e uma vesícula biliar debilitada traduz-se em dificuldades para tomar decisões.

Uma alimentação adequada revitalizará estes órgãos, libertando alguns bloqueios e, para além disso, atenuando os efeitos destas emoções, ou seja, irritabilidade e tensão muscular. Por isso, os vegetais são fundamentais nesta dieta porque são a manifestação do verde, uma cor que, segundo os especialistas orientais, purifica, limpa e elimina toxinas acumuladas.

Ative o fígado

Quantas vezes ouviu dizer que é no fígado que se metabolizam as gorduras que, de outro modo, se acumulariam no corpo? Muito provavelmente algumas. Assim, se estimular o seu funcionamento, emagrecerá. A regra para fazer com que o fígado trabalhe bem consiste em seguir uma dieta sem fritos nem gorduras, molhos ou álcool e evitar alimentos ácidos e avinagrados.

O objetivo é impedir que o excesso de acidez invada o organismo e os tecidos. Os sabores amargos, salgados e, em pequenas quantidades, os doces, ajudam a reduzir os efeitos nocivos da acidez. Se pretende perder peso sem abdicar da sua saúde, veja também a galeria de imagens com 50 regras que o vão ajudar a emagrecer.

Comentários