Anti-intolerâncias (Dieta)

Segue a sua dieta à risca e não consegue perder peso? O problema talvez seja apenas uma incompatibilidade com alguns alimentos. Descubra-a!

Muitas pessoas sofrem de mal-estar digestivo, engordam e sentem-se inchadas apesar de comerem pouco e de forma saudável. E não sabem que esse tipo de problemas pode ser provocado por alimentos tão saudáveis como o tomate ou a alface ou, eventualmente, algum aditivo.

De acordo com o especialista em nutrição, Humberto Barbosa, «quando um paciente chega à consulta para emagrecer, a primeira coisa que se faz é analisar que tipo de alimentação segue e que alimentos podem estar a causar-lhe incómodo depois de comer, sobretudo, fermentações intestinais, que ocasionam muitos gases».

O que se tenta detectar são as intolerâncias, ou seja, reacções do organismo a alguns alimentos ou compostos, as quais, sem serem patológicas, produzem inflamação abdominal, gases, cefaleias ou retenção de líquidos.

«Por vezes, a intolerância simplesmente consiste em não gostar de certos  alimentos», explica o nutricionista criador do Método Persona. «Mas é mais frequente ser ocasionada por produtos aparentemente tão inocentes como a lactose do leite, a alface, as verduras de folha verde, o glutamato (um aditivo) ou a sacarina», sublinha.

Os sintomas mais habituais que aparecem, quando se sofre desta  incompatibilidade alimentar, são as digestões longas ou pesadas, que produzem inchaço abdominal ainda que a pessoa tenha comido muito pouco. Também podem ocorrer dores de cabeça, episódios asmáticos, alterações da pele (dermatite, eczema, ardor ou borbulhas), fadiga crónica e diarreia ou prisão de ventre. Para além disso, uma intolerância alimentar também pode impedir a pessoa de emagrecer, pese embora siga rigorosamente uma dieta baixa em calorias.

Comentários