Cérebros modernos precisam de exercício físico

Um estudo levado a cabo por investigadores da Universidade do Arizona, nos EUA, diz que a utilização que atualmente fazemos deste órgão exige uma prática desportiva regular.

Os cérebros modernos necessitam de exercício. Segundo investigadores da Universidade do Arizona, nos EUA, ao longo dos séculos, este órgão foi evoluindo de modo a ter de precisar da prática desportiva, uma situação que, em função da utilização que dele fazemos nos dias de hoje, se mantém. Nas últimas décadas, muitas investigações vieram garantir que a prática desportiva tem efeitos benéficos na saúde mental dos humanos.

Os especialistas sugerem agora que a relação entre o cérebro e a prática de exercício é um produto da nossa história evolutiva e do nosso passado de caçadores-recoletores. «A nossa psicologia evoluiu para responder ao aumento nos níveis de atividade física e, em função disso, as adaptações psicológicas geradas a partir dos nossos ossos e dos nossos músculos acabaram por ter impacto no nosso cérebro», afirma Gene Alexander.

«Do mesmo modo que, quando pratica exercício, o seu sistema cardiovascular se adapta para aumentar a sua capacidade, passa-se o mesmo com o cérebro. As pessoas sedentárias, que não exigem nenhum esforço suplementar do seu sistema, fazem com que o corpo reduza as suas capacidades. Um cérebro que não é estimulado tende a diminuir», assegura o psicólogo, um dos autores do estudo agora divulgado.

Texto: Luis Batista Gonçalves

artigo do parceiro:

Comentários