Acabaram as desculpas: comece a mexer-se já

Fomos pesquisar o que dizem alguns estudos sobre o tema em questão e a verdade é que não ficámos surpreendidos. A prática regular de exercício físico revelou ser o melhor remédio para muitas doenças.

CREATOR: gd-jpeg v1.0 (using IJG JPEG v80), quality = 90

A prática desportiva, seja ela qual for, é um potenciador da saúde física e mental. Estudos revelaram que pessoas que vivem em grandes meios urbanos, com níveis de sedentarismo altos e que não praticam qualquer atividade física complementar, têm maior tendência a desenvolver doenças como a diabetes, obesidade, hipercolesterolemia, doença cardiovascular, doenças mentais e apresentaram um maior risco de contrair determinados cancros.

Fomos pesquisar o que dizem alguns estudos sobre o tema em questão e a verdade é que não ficámos surpreendidos. A prática regular de exercício físico revelou ser o melhor remédio para muitas doenças. Os estudos concluíram que:

O aumento da atividade física diminui o risco de doença cardiovascular em 20% a 30% - pessoas da mesma faixa etária mas com uma vida sedentária, mostraram um risco de desenvolver doença cardiovascular até 95%.

A atividade física moderada, reduz a incidência de desenvolvimento de determinados tipos de cancro em 20 a 40%. Melhora consideravelmente a vida de pacientes oncológicos bem como aumenta em 73% a taxa de sobrevivência.

Uma boa alimentação aliada à prática de atividade física moderada a intensa, reduz o risco de ter diabetes tipo 2, em pacientes com excesso de peso.

Estudos revelaram que exercícios de peso e de resistência, contribuem para uma maior densidade óssea e um baixo risco de osteoporose. Outro estudo revelou uma redução do risco de fraturas comparativamente com pessoas que não praticam nenhuma atividade física.

A atividade física reduz o stress, ansiedade e depressão. Pesquisas confirmam que o treino tem um impato muito positivo no controlo e prevenção da depressão.

Melhora a saúde do nosso cérebro, o processo de aprendizagem e desempenho mental, estimulação da neurogénese, maior resistência a danos cerebrais e melhoria em processos de plasticidade cerebral.

Pessoas que têm um gasto energético de cerca de 2500 kcal / semana, conseguiram controlar de forma mais eficaz o peso a longo prazo.

Pesquisas indicam que pessoas que praticam atividade física desde a infância, têm menor probabilidade de desenvolver a doença de Parkinson. No entanto, a atividade física deve ser moderada, treinos de alta intensidade devem ser evitados, uma vez que podem aumentar o risco de doença de Parkinson no futuro.

Melhora o humor durante a gravidez. Treinos moderadamente intensos ajudam a manter a boa saúde do nosso organismo durante a gravidez.  De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças, ser ativo durante a gravidez diminui o risco de parto prematuro. Alguns cientistas defendem que a atividade física durante a gestação pode estimular o cérebro do bebé.

A prática de exercícios de intensidade moderada ou baixa, reduz o risco de deficiência na artrite na maioria dos casos. Atividades de fortalecimento aeróbicos e musculares têm demonstrado bons resultados em pessoas com artrite.

Quem não treina tem o mesmo risco de morte prematura que um fumador. Uma pessoa sedentária tem o mesmo risco que um fumador em desenvolver doenças cardíacas, diabetes, cancro da mama, colon entre outros.

Melhora o desempenho sexual e ajuda na prevenção e tratamento da disfunção eréctil.

Procure alguma atividade que goste e desfrute. O que interessa é pôr-se a mexer.

Bons treinos

artigo do parceiro:

Comentários