Viva Cabo-verdiana na Diáspora | Tirzah Évora conquista passarelas de Nova Iorque

Chegou aos Estados Unidos para jogar basquetebol, mas é na moda que ela brilha.
créditos: Sempre Viva

Sonhadora e muito perseverante conquistou primeiro as passarelas de Boston e depois as de Nova Iorque, capital da moda americana. Hoje, meses depois de ser eleita a melhor manequim de Boston, atrai a atenção de fotógrafos renomados, desfila para grandes marcas e estilistas e estampa revistas e outdoors nova-iorquinos.

Quem é Tirzah Évora? Como te auto descreves?

Sou filha de uma nação humilde mas com uma grande visão. Desejo conquistar o mundo. Tirzah Évora auto descreve-se como uma mulher de personalidade forte e determinada a lutar para manter o seu sonho profissional sempre vivo.

Onde e quando nasceste?

No dia 3 de Julho, tive a sorte de nascer na ilha do Sal, considerada uma das ilhas mais turísticas e mais belas de Cabo Verde.

Como foste parar à emigração?

Ainda enquanto estudante pertencia à equipa feminina de Basquetebol do Liceu Olavo Moniz, na ilha do Sal. Surgiu então uma proposta para ir para os EUA com o intuito de realizar testes para qualificação numa escola profissional. Foi assim que cheguei aos Estados Unidos para estudar e jogar basquetebol…

Quando é que a moda entrou na tua vida? Quando percebeste que querias ser modelo?

Aos 14 anos. Após vários incentivos por parte da minha família, inscrevi-me num concurso de beleza na ilha do Sal. Era a primeira vez que participava num concurso de moda e saí vencedora. Foi então que comecei a interessar-me por tudo o que tem a ver com moda e decidi que queria ser modelo. Apesar de gostar de outras coisas também, comecei a investir mais em mim e na minha imagem e a participar em eventos de moda como desfiles e concursos.

E conquistaste a coroa da mulher mais bela de Cabo Verde em 2011…

Pois é, ganhei o concurso Miss Cabo Verde em 2011. E no ano seguinte, em 2012, ganhei a faixa da 1ª Dama de Honor da CEDEAO.

Fala-nos do teu percurso como modelo

Por causa desses dois títulos, várias portas se abriram. Logo depois viajei para os Estados Unidos e inscrevi-me numa agência de modelos. Foi quando tudo se tornou mais sério. Comecei a trabalhar para várias marcas e a desfilar em várias Fashion Week’s. No final de 2015, numa Fashion Week em Rhode Island, fui descoberta por uma agência de Nova Iorque. Três semanas depois já vivia em NY. Entretanto, fiz o meu primeiro casting e consegui o meu primeiro trabalho, no Project Runaway Season 15, cuja gravação teve a duração de um mês. Logo a seguir, preparei-me para o meu primeiro Fashion Week de Nova Iorque. O ano de 2015 foi muito bom e mais vitórias

estavam reservadas para mim. No ano seguinte, em 2016, fui considerada a melhor modelo feminina pelos Boston Awards 2016 e também o meu trabalho com a estilista cabo-verdiana Angélica Timas, que foi exibido em um outdoor na Times Square, em Nova Iorque.

Para que agência trabalhas neste momento?

Trabalho para a Dynasty Agency, em Boston, e para a Surface Model Management, em Nova Iorque.

Comentários