Cantora brasileira Gaby Amarantos na Guiné-Bissau para descobrir ascendência africana

A cantora brasileira Gaby Amarantos está até 25 de novembro na Guiné-Bissau para redescobrir a sua ascendência africana, que acredita ser do território guineense, contou a própria.

Gaby Amarantos

Em declarações à agência Lusa, Gaby Amarantos disse que decidiu visitar "a mãe África" e a Guiné-Bissau pela primeira vez, seguindo as indicações da sua bisavó que, quando era viva, dizia nos seus cantares ser descendente de guineenses.

"Tenho quase a certeza de que os meus antepassados vieram da Guiné", defendeu a cantora, conhecida entre os guineenses devido a uma música sua que é tema de uma telenovela em exibição no país.

Acompanhado do namorado, o cineasta inglês Gareth Jones, a cantora nascida no estado de Pará, norte do Brasil, conta visitar várias localidades do interior guineense, nomeadamente Cacheu, no norte, Tabató, no leste, e as ilhas Bijagós, no sul.

Gaby Amarantos está em Bissau há dois dias, mas já visitou o popular mercado do Bandim, principal local de trocas comerciais da Guiné-Bissau, onde, contou à Lusa, comprou panos, roupa e brincos africanos e ainda colou unhas postiças.

De turbante africano na cabeça, Gaby Amarantos deixou de lado as suas conhecidas roupas vistosas e sapatos de saltos de mais de 15 centímetros, para, disse a própria, homenagear os guineenses com as suas vestes.

Considerada no ano 2011, por uma revista brasileira, uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil, a cantora, que celebrizou o estilo Tecnobrega, também apelidada de Beyoncé do Brasil, já assistiu a uma atuação principal grupo cultural guineense, os Netos de Bandim, com os quais pretende, um dia, gravar um videoclipe.

Ainda há pouco tempo na Guiné-Bissau, Gaby Amarantos disse estar "apaixonada com as cores, os cheiros e a simplicidade dos guineenses" que afirma serem um "povo guerreiro e hospitaleiro".

"Amo a Guiné-Bissau de coração", frisou a cantora de 39 anos, nascida Gabriela Amaral dos Santos.

Desafiada a indicar o que mais a impressionou com a Guiné-Bissau, a cantora brasileira foi perentória em apontar a "sensação de segurança total" como "o melhor que se pode dizer" do país africano, observou.

Comentários