Estudo: Atitudes e motivações dos estudantes são fundamentais para o sucesso escolar

O estudo da McKinsey analisou o desempenho escolar nos países da América Latina, mas as suas conclusões pretendem servir de estímulo a escolas do mundo inteiro para que descubram novas formas de incentivar, cuidar e inspirar os seus alunos.
créditos: pixabay

A base de dados do PISA está aberta a todos – um recurso poderoso para todos aqueles que desejam saber mais sobre educação e ajudar a melhorá-la, desde governos e investigadores a diretores de escolas, professores e pais.

Nos últimos anos, a McKinsey fez exatamente isso, utilizando-se dos dados do PISA para identificar políticas e práticas que realmente fazem diferença.

No seu estudo "Fatores que influenciam o sucesso escolar na América Latina", lançado este ano, foram analisados relatórios inovadores sobre os melhores sistemas de ensino e como desenvolvê-los. Para a McKinsey, empresa promotora do estudo, estas novas análises regionais sobre o desempenho dos estudantes de diferentes grupos etários representam mais um marco significativo para o aprofundamento do conhecimento sobre o tema.

O estudo sugere que as atitudes e as motivações dos estudantes são fatores fundamentais para o desempenho. Da mesma forma, a sua experiência na sala de aula – tanto em termos de estratégias de ensino como de uso de tecnologia digital –, bem como os anos dedicados ao estudo são fatores de grande influência.

Os insights da McKinsey pretendem servir de estímulo a escolas do mundo inteiro para que descubram novas formas de incentivar, cuidar e inspirar os seus alunos.

Eis as 5 grandes conclusões do estudo:

1. A mentalidade dos alunos afeta os resultados escolares quase duas vezes mais do que o contexto socioeconómico, ou seja, a motivação assume um papel importante no desempenho escolar.

2. Alunos cuja educação é uma combinação de investigação/pesquisa própria e instrução orientada por professores obtêm os melhores resultados.

3. Embora a tecnologia possa ser um suporte na aprendizagem dos alunos fora da escola, os efeitos da sua utilização dentro das escolas são ambíguos. Os melhores resultados são obtidos quando a tecnologia é colocada nas mãos dos professores.

4. O aumento da jornada escolar para até sete horas diárias contribui para melhorar os resultados. Mas também é possível obter ganhos significativos com um melhor uso do tempo atual.

5. A educação infantil teve impacto académico positivo nos jovens que hoje têm 15 anos. Entretanto, os alunos de famílias com rendimentos mais baixos beneficiaram menos do que os que são oriundos de famílias com rendimentos mais elevados.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários