Enjoos matinais ajudam a reduzir risco de aborto, diz estudo

Esta é a conclusão de um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Saúde nos Estados Unidos, e publicado no JAMA Internal Medicine.

Enjoos matinais parecem estar associados a uma gravidez saudável. Esta é a conclusão de um estudo realizado pelo Instituto de Saúde nos Estados Unidos, que avaliou 797 mulheres, cujas gestações foram confirmadas através de testes de gravidez e que já tinham sofrido pelo menos um aborto no passado.

O estudo, publicado na JAMA Internal Medicine, foi, na verdade, uma análise de dados recolhidos para um ensaio clínico completamente diferente, que pretendia analisar os efeitos da aspirina antes e durante a gravidez.  Para esse estudo, foi também pedido ao grupo de mulheres estudadas, que tomassem nota dos sintomas num diário. E a partir desses sintomas, os investigadores foram capazes de recolher outro tipo de informação relevante.

As mulheres que relataram náuseas e/ou vómitos, tinham entre 50 a 75% de menor probabilidade de sofrerem um aborto dos que as que não apresentavam esses sintomas.

Este não é o primeiro estudo que encontra uma ligação entre os enjoos matinais e o risco reduzido de aborto. Mas o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos refere que esta ligação é agora ainda mais forte. Os investigadores não conseguiram identificar exatamente o papel protetor das náuseas, mas realçam o facto de que os enjoos e os vómitos serem um sinal de que o tecido da placenta é saudável.

No entanto, nunca é demais realçar que cada mulher é diferente assim como a experiência de uma gravidez.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários