Primeira-dama propõe que todas as crianças tenham as mesmas oportunidades

Lígia Fonseca fez estas observações à margem do V Fórum da Fundação Infância Feliz realizado hoje na Praia.
créditos: CM/SAPO

A primeira-dama, Lígia Fonseca defendeu hoje a necessidade de se reforçar a proteção das crianças no sentido de se criar “melhores oportunidades” para os mais novos.

“Não podemos continuar a ter crianças com acesso a tudo e mais alguma coisa e outras com dificuldades de acesso a coisas básicas, como, por exemplo, uma escola em condições”, precisou a primeira-dama.

Lígia Fonseca fez estas observações à margem do V Fórum da Fundação Infância Feliz realizado hoje na cidade da Praia, para assinalar o 15 aniversário desta organização que vem trabalhando no domínio de apoio às crianças, sobretudo as mais carenciadas.

“Todas as associações juntas, trabalhando cada uma na sua área, conseguiremos melhorar o bem-estar da criança cabo-verdiana”, afirmou a primeira-dama, acrescentando que Cabo Verde, enquanto país africano, pode contribuir ao nível das organizações a que pertence, regionais e a nível do continente, para “melhorar a situação da criança africana”.

Na sua intervenção, enquanto convidada de honra, Lígia Fonseca lançou um repto no sentido de haver menos diferença entre a políticas e a prática.

Segundo ela, neste momento é necessário que se dê conteúdo às declarações políticas.

“Em Cabo Verde, em alguns setores temos trabalhado muito bem”, realçou a primeira-dama, indicando exemplo de áreas como a educação onde mais de 95% das crianças frequentam o ensino básico.

Para Lígia Fonseca, o programa de vacinação é um outro exemplo em que o país se destaca no domínio da proteção da criação.

Em seu entender, há que trabalhar também na saúde dos adolescentes.

“Os jovens, a partir dos 12 e 13 anos, quando acaba a fase de vacinas obrigatórias, praticamente, não têm cuidados de saúde permanentes”, lamentou.

Para a presidente da Fundação Infância Feliz, Adélcia Pires, com este fórum pretende-se que a sociedade civil se engaje na contribuição que possa dar em prol da camada infanto/juvenil.

Comentários