Acrides assinala declaração da Carta Africana para os Direitos da Criança com mensagens de consciencialização

A Carta foi criada a 20 de julho de 1979 pela Organização de Unidade Africana.
créditos: Inforpress

A Associação das Crianças Desfavorecidas (Acrides) assinala esta hoje o 38º aniversário da declaração da Carta Africana para os Direitos e Bem-Estar da Criança, com envio de mensagens de consciencialização sobre o assunto.

Segundo a presidente da Acrides, a data será assinalada numa cerimónia “simbólica” na cidade da Praia, em parceria com a Plataforma da Comunidade Africana, como forma de mostrar a importância da Carta Africana para os Direitos e Bem-Estar da Criança, criada a 20 de julho de 1979 pela Organização de Unidade Africana.

“Será um grupo de crianças que vão endereçar mensagens apelando à consciência sobre o mal que fazem às crianças, através das práticas culturais nefastas e, encorajar os países que combatem contra o casamento precoce e a mutilação genital feminina, para continuarem, pelo bem de todas as crianças”, explicou Lourença Tavares.

De acordo com a presidente da Acrides, o evento acontece hoje, 20, pelas 15:00, frente ao Memorial Amílcar Cabral, porque a sua ONG, na promoção e defesa dos direitos e deveres da criança, no cumprimento da sua missão, “pretende dar vez e voz às crianças”.

No seu entender, as crianças, “mais de que ninguém”, podem avaliar e propor melhorias para que realmente as respostas sejam melhoradas em prol da proteção efetiva para o pleno gozo dos seus direitos.

Outro motivo da realização do evento, conforme explicou, tem a ver com o facto de Cabo Verde integrar a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e acolher emigrantes dos Estados membros que, acompanhados de seus filhos, procuram Cabo Verde como destino para viverem.

“Os mesmos criam laços familiares com cabo-verdianos e assim sendo, é momento de começarmos a querer saber e conhecer melhor a realidade destas convivências, tendo em conta que a África tem práticas e tradições culturais que violam os direitos das crianças”, explicou a responsável.

Os Estados membros da Organização de Unidade Africana, na sua 16ª sessão ordinária, em Monróvia, na Libéria, criaram e declararam a Carta Africana sobre os Direitos e Bem-Estar da Criança, reconhecendo a necessidade de se tomar medidas adequadas para promover e proteger os direitos e o bem-estar da criança no continente.

Comentários