É possível prever as primeiras palavras do bebé, diz estudo

Estudo revela que o papel da memória visual na aprendizagem precoce da linguagem pode ser fundamental em tratamentos no atraso da fala e autismo.

Psicólogos da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, mostraram que as primeiras palavras de um bebé podem ser baseadas na sua experiência visual, estabelecendo bases para uma nova teoria de aprendizagem da linguagem infantil.

Os resultados do estudo também podem também ajudar crianças com atrasos e distúrbios na fala.

A pesquisadora Linda Smith e seus colegas descobriram que o número de vezes que um objeto entra no campo de visão de um bebé influencia a associação de certas palavras a determinados objetos.

"Pensamos que as primeiras palavras das crianças são previsíveis com base na sua experiência visual com objetos e na prevalência desses objetos no seu mundo visual", refere Linda Smith, professora do Departamento de Ciências Cénicas e Psicológicas da Universidade de Indiana.

Apesar de muitos investigadores já tenham estudado as primeiras palavras do bebé para entenderem como funciona a aprendizagem, nenhum deles abordou a questão do lado visual.

Para realizar o estudo, investigadores colocaram câmaras de vídeo na cabeça de bebés entre os 8 e 10 meses, antes das primeiras interações verbais com os pais, com o objetivo de estudarem o seu campo visual.

Os bebés foram observados durante a hora das refeições, independentemente do local: no carro, na creche ou sentados na cadeira. As imagens mostram os bebés a interagirem com objetos relacionados com as refeições. E as primeiras palavras dos bebés a partir dos 16 meses foram mesa, camisola, cadeira, taça, copo, garrafa, comida, colher e prato.

O estudo demonstrou, assim, que existe de facto uma forte relação entre os objetos que entravam no campo visual do bebé e as primeiras palavras.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários