Primeiro centro comercial da Brava abre as portas em Janeiro de 2018

Uma infraestrutura privada, de quatro pisos, construída de raiz numa área de 650 metros quadrados e avaliada em mais de 45 mil contos.
créditos: Inforpress

A ilha da Brava vai ter no início de 2018 o seu maior complexo comercial, uma infraestrutura privada, de quatro pisos, construída de raiz numa área de 650 metros quadrados e avaliada em mais de 45 mil contos.

Já na sua fase final de construção, na cidade de Nova Sintra, a obra começada em 2014, com interrupção de um ano, segundo o seu proprietário, o comerciante/empresário Daniel Tavares “Dani”, será inaugurada em janeiro para, no primeiro trimestre, estar na plenitude das suas ações.

A cave conta com uma área de 650 metros destinados a atividade de vendas a grosso, o primeiro piso vai albergar um supermercado, capacitado para venda de produtos alimentares, higiénicos, cosméticos de entre outras variedades.

O segundo piso é destinado a venda e exposição de produtos diversos como mobiliários, um autentico “show room”, estando o piso superior projetado para albergar todo o corpo de gerência e toda a estrutura de suporte de negócio.

A infraestrutura vai ainda contar com um parque de estacionamento, anexo, numa área de 272 metros quadrados numa rua contigua à empresa, de forma a facilitar o parqueamento da clientela, estacionamento de carrinhos de compras, cestos de entre outros acessórios.

Neste exclusivo a Inforpress, Daniel Tavares avançou que aposta numa nova filosofia de negócio de modo a fazer com que toda a ilha da Brava seja abastecida por um maior “stock” de segurança e ao mesmo tempo fazer com que as pessoas desloquem a um espaço comercial com diversidade de produtos.

Comodidade e modernização são outros desafios deste comerciante com largas experiências neste ramo, que diz ter acompanhado toda o obra com uma administração direta, de modo a reduzir os custos da sua construção.

Explica que para por de pé este projeto teve de cooperar com outras empresas, ligadas á construção civil e encetar parcerias, o que a seu ver, evitou gastos exorbitantes, e promete, com este investimento, “continuar a contribuir com a criação de mão-de-obra” nesta ilha.

De momento, especificou, a empresa conta com 12 trabalhadores efetivos, estando já perspetivado pela gerência a aquisição de novos trabalhadores, visando redimensionar esta empresa em termos do seu recurso.

Para Daniel Tavares, proprietário da mercearia “Mini Poupança, criada em 2002, “trata-se de uma obra de referência para a ilha da Brava, forma encontrada para dignificar a clientela, população local extensiva a toda o País e a diáspora, pelo crescimento enquanto empresário por excelência.CComerComerCom

Comentários